15 de dezembro de 2015

Novidades Enevenenadas: As Farsas dos Moços de Capela

“Na mão da Mãe há um terço;
na voz do Pai, o desprezo.
O gesto lindo torna-se inútil...
No canto escuro, eu, o preço...
Meu Deus! Janelas todas fechadas!
Meu Deus! O corredor não tem fim!
Meu Pai, enxota os pássaros negros que sobrevoam o meu jardim.
Eu só queria ouvir e ser ouvido...
Correr ao vosso encontro sem estar perdido.
Espalmar as mãos magras, feias, estendidas...
Matar o tempo, disfarçando vidas, vidas.
Senhor, por que a gente só pensa em ler histórias que já foram lidas?
A rosa nasce em lugar lamacento...
O homem paga para gastar lamentos!
Eu só queria ouvir e ser ouvido.
Correr ao vosso encontro, sem estar perdido.”
“O preço” – de Lão Goes – por  Dom Inácio de Avelar


Olá, Envenenados!

Quando observamos nos noticiários em TVs, rádios e internet, as inúmeras demonstrações diárias de intolerância a tudo que é diferente, pensamos em como o ser humano pode ser cruel, injusto, leviano. Muitos, diante de tantas atrocidades, dizem que é “o fim dos tempos”, que o juízo final está próximo e, por aí vai, de acordo com as crenças ou a falta delas.
Mas tenho um alento aos mensageiros do Apocalipse de plantão: a humanidade sempre demonstrou sua crueldade, com requintes, desde seus primórdios.
Depois que inventaram as divisões territoriais, religiosas, sociais e étnicas, a coisa só piorou.
Vejam bem, não estou fazendo apologia a nada, apenas constatando fatos, nos quais venho pensando muito, devido a tantas ações terroristas, extremistas, de políticos extremamente corruptos e cínicos, enfim, de pessoas que não levam em consideração os outros, sejam eles culpados ou inocentes.
Muitas vezes, tento me privar desses noticiários, me embrenho no mundo dos meus amados livros, e dou umas férias para essa ansiedade urbana.
Numa dessas fugas, fiz uma viagem impressionante à nossa antiga Metrópole. Comecei a ler As Farsas dos Moços de Capela, de Carlos Hiran Goes de Souza. Uma novidade da Eldorado, que está começando com os dois pés no ramo editorial, além de manter a minha livraria preferida em pleno funcionamento.
Para variar, estava passando por lá e, claro, não me conformando em paquerar a vitrine, entrei para cutucar meus queridos vendedores à procura de novidades, sobretudo literatura de época.
Foi quando me apresentaram um livro cuja capa atraiu minha atenção (apaixonada por História que sou), me informando que acabara de chegar e que era uma edição da Eldorado. Frequentadora da livraria há mais de 10 anos, fiquei muito feliz.
Mathilde, Carlos Hiran, eu e meu exemplar autografado!
O gerente me informou que o autor, que não mora no Brasil, estaria aqui para o lançamento do livro e convidou-me para um papo com Carlos Hiran.
O autor nos contou como se inspirou para contar a história dos Moços de Capela. E foi assim que conheci uma história incrível que é um dos panos de fundo da trama do livro. Trata-se da história do amor proibido entre o infante D. Pedro, herdeiro do trono de Portugal, e Dona Inês de Castro, dama de companhia de sua esposa Dona Constança Manuel. É gente, Portugal também é cenário de romances, de amores impossíveis e dramas familiares e políticos em consequência.
“Apesar do casamento, o Infante marcava encontros românticos com Inês nos jardins da Quinta das Lágrimas. Depois da morte de D. Constança em 1345, D. Pedro passou a viver maritalmente com Inês, o que acabou por afrontar o rei D. Afonso IV, seu pai, que condenava de forma veemente a ligação, e provocou forte reprovação da corte e do povo.
Durante anos, Pedro e Inês viveram nos Paços de Santa Clara, em Coimbra, com os seus três filhos. Mas com a crescente censura à união, a corte pressionava constantemente D. Afonso IV, que acabou por mandar assassinar Inês de Castro em Janeiro de 1355. Louco de dor, Pedro liderou uma revolta contra o rei, nunca perdoando ao pai o assassinato da amada. Quando finalmente assumiu a coroa em 1357, D. Pedro mandou prender e matar os assassinos de Inês, arrancando-lhes o coração, o que lhe valeu o cognome de o Cruel.
Mais tarde, jurando que se havia casado secretamente com Inês de Castro, D. Pedro impôs o seu reconhecimento como rainha de Portugal. Em Abril de 1360, ordenou a trasladação o corpo de Inês de Coimbra para o Mosteiro Real de Alcobaça, onde mandou construir dois magníficos túmulos, para que pudesse descansar para sempre ao lado da sua eterna amada.
Túmulos de Dona Inês e de D. Pedro
Assim ficaria imortalizada em pedra a mais arrebatadora história de amor portuguesa.”A Lenda de Pedro e Inês
Nossa história começa dois séculos depois, quando dois jovens sacristães são envolvidos numa trama (farsa) articulada pela Corte portuguesa e pela Igreja, com objetivos distintos.
D. João III, então rei de Portugal, almeja desaparecer com as lembranças de D. Inês de Castro, a Rainha Morta, já a Igreja (ou uma parte considerável dela) busca razões para instaurar definitivamente a inquisição em terras lusitanas.
Com uma escrita impecável, Carlos Hiran conta essa história, onde realidade e ficção se fundem e se confundem, e nos leva por algumas ruas de Portugal, nos faz caminhar por corredores de mosteiros, acompanhar personagens enigmáticos – uns manipuladores, outros manipulados, e viver momentos de incertezas, onde a inocência não é motivo para recuar com manobras sombrias, vis e insanas.
Como o autor me explicou, “farsas” vão muito além com nosso conhecimento comum (s.f. Mentira; ação ou comportamento ardiloso que induz ao engano. P.ext. Embuste; ação que busca iludir; em que há fingimento. Teatro. Peça cômica de teor popular, simples, burlesca em que o ridículo prevalece: os alunos encenavam uma farsa na peça do colégio. P.ext. Narrativa engraçada, burlesca que busca entreteter por meio do riso. Comédia de nível inferior, ruim. Tudo o que tem uma essência burlesca, cômica (Etm. do francês: farse; do latim: farsus). Elas não dizem respeito apenas a mentiras, embustes e com a leitura a gente vai percebendo isso, mas estão bem longe de serem uma comédia, boa ou ruim.
Não sou uma analista literária, sou apenas uma leitora, e quero explicar a minha colocação no início da postagem.
Quando estava no penúltimo capítulo do livro, lembrei-me das perseguições que o mundo tem presenciado, sejam elas por diferenças raciais, políticas, religiosas ou sexuais.
Pensei na soberba de algumas pessoas que usam a religião, ou outro tema, para  se autoproclamarem donos da verdade absoluta, seres superiores que se dão o direito de capturar, julgar e condenar todos os que têm um pensamento diferente, não importando se esse pensamento os prejudica ou não.
A inquisição agiu dessa maneira durante muito tempo, ceifando incontáveis vidas, por motivos muitas vezes torpes. Aliás, matar em nome de Deus? Quer motivo mais torpe?
Essa é uma trama, despretensiosa, que impressiona pela inteligência ao contar as aventuras, as dúvidas, as angústias dos protagonistas e como foram usados em sua inocência e fé para atingirem objetivos que eles sequer sonhavam. Uma história sobre traição, fé, medos, libertação e esperança.
Como Carlos Hiran mesmo diz, ele não teve a intenção de reproduzir fatos fielmente, nem de manchar o nome de nenhum personagem histórico, nem ferir nenhuma religião.
Mas conseguiu despertar em mim uma curiosidade pela história pouco conhecida de nossa antiga Metrópole e seus personagens inusitados.
Quanto à edição, este é um belo começo na estrada editorial da Eldorado que conseguiu respeitar a linguagem usada pelo autor (bem dentro dos padrões do português de além-mar), mas que não nos impede de compreender bem e vivenciar a história como se dela fizéssemos parte.
Quisera eu poder contar todas as aventuras de Augusto e Lucas, dois meninos sem família e acolhidos e doutrinados pela Igreja. Uma história diligentemente contada em primeira e terceira pessoas, que eu adoraria passar muito tempo comentando. Mas deixo que vocês tenham a oportunidade de conhecer mais de perto e se encantarem tanto quanto eu.
Parabéns, Carlos Hiran e Eldorado pela obra que hoje faz parte da minha lista de preferidos!
E assim, deixo vocês, desejando um dia maravilhoso e cheio de boas histórias para contar!

Fiquem bem e Carpe Diem!

9 de novembro de 2015

Tag literária: Maroon 5

Se tem um post que eu adoro fazer e que nos aproxima ainda mais que vocês leitores; é a tag.
Essa em especial não foi indicada por nenhum outro blogueiro. 
Eu li no blog "Romantic Girl" e A-D-O-R-E-I.
Ela foi originalmente criada pelo canal "Chiclete Violeta" e consiste em responder 15 perguntas inspiradas nas músicas da banda mais amada de todo o mundo... pelo menos para mim ^^'




♫ Maps: Um livro que te levou para outro país.
A maioria dos livros que leio me levam para outro país, mas o que mais me marcou e me fez desejar conhecer ainda mais o local foi Inferno do Dan Brown.

♫ Animals: Um livro que tenha personagens animais.
Acho que o único livro que li recentemente (nos últimos 10 anos ^^) e que me marcou muito foi Marley e Eu.

 She Will be Loved: Um livro com um casal apaixonante.
Jamie e Claire de Outlander com certeza são meus queridinhos nesse quesito, desde o primeiro encontro deles eu fiquei apaixonada e desejando que fiquem juntos.

♫ Sunday Morning: Um livro para ler em um dia.
A série Rosemary Beach da Abbi Glines com certeza, li Tentação sem limites em menos de 10 horas.

 Love Somebody: Um livro que você quer muito ler.
Todas as minha amigas já leram Como eu era antes de você, super me recomendaram, tenho ele na minha estante, mas ainda não tive coragem de pegar para ler porque sei que vou chorar muito.

♫ Payphone: Um livro com uma lição boa.
Clube do livro do fim da vida é um dos meus queridinhos no quesito lição de vida; é um biografia tocando que mostra o poder que a leitura tem para unir as pessoas.

♫ Sugar: Um livro muito meloso.
Sei que vai parecer estranho afinal é um livro hot, para mim Somente sua é muiiiito meloso; Gideon me irritou um pouco com "Minha esposa" pra cá, "minha esposa" pra lá... mas que fique bem claro que isso não diminui meu amor pela série rs.

♫ Moves Like Jagger: Um livro que te fez rir muito.
Eu poderia fazer um poste só com essa música citando os milhares de livros que me fizeram rir horrores, mas como só posso escolher um fico com Esposa 22.

♫ Misery: Um livro que te fez ficar triste.
Antes de morrer é o tipo de livro que da primeira a última letra você sente a tristeza que envolve a vida da personagem e apesar de você saber o final, em alguns momentos reza para que seja diferente.

♫ Daylight: Um livro que te fez ficar acordado a noite inteira.
Travis Maddox em Belo desastre conseguiu me fazer passar por um turbilhão de emoções e me fez perder a noção do tempo com a maior facilidade do mundo ;) melhor madugada de leitura dos últimos tempos.

♫ Beautiful Goodbye: Um livro que tenha um final lindo.
Redenção de Gabriel tem o mais lindo, perfeito e emocionante final que poderia imaginar para essa trilogia.

♫ One More Night: Um livro que você quer que tenha continuação.
Hoje em dia é quase impossível ler um livro que não tenha continuação, é só fazer um pouquinho mais de sucesso que começam a surgir outro volumes, não que eu não goste. Antes de dormir foi um dos poucos livro que li desejo até hoje desesperadamente uma continuação, nem que seja um capítulo a mais, mas sei que não vai ter.

♫ Back At Your Door: Um livro que você quer muito reler.
Procura-se um marido da Carina Rissi, tenho um carinho todo especial por esse livro e ele merece ser relido, de novo, o mais rápido possível rs 

♫ Lucky Strike: Um livro que tenha te surpreendido.
Antes de dormir, conheci esse livro através do um funcionário da editora na época, ele fez uma pequena apresentação e me deu o livro. Comecei a ler e MEUDEUS, já falei isso umas mil vezes mas, esse é o melhor livro que já li nos últimos 4 anos.

♫ Until You're Over Me: Um livro que você está lendo.
Comecei nesse final de semana "Os bons segredos" da Sarah Dessen, ainda estou bem no comecinho. Fiquem de olho que logo terá resenha aqui no blog.


2 de novembro de 2015

Apple News: Novembro da @HarlequinBrasil


#MEUDEUS já estamos em novembro. Mal começou o mês e o mundo literário esta tudo de bom. A Harlequin trouxe, mais uma vez, romances lindos para inspirar esse mês. É tanto amor e inspiração em grandes destaques e lançamentos incríveis que vão tirar o fôlego de nós leitoras de plantão!

São 16 lançamentos, vejam os grandes destaques:


  • Lançamento Coleção Belas e Feras edição 1 e 2.
Herança da Paixão - Lynne Graham Aristandros Xenakis é como um leão pronto para dar o bote. Elegante, sombrio e muito poderoso, ele sentirá em breve o sabor da vingança… Ella precisa cuidar da sobrinha órfã, mas a guarda do bebê pertence à Aristandros, seu ex-noivo. Por isso, não tem escolha além de se submeter às exigências dele e tornar-se sua amante. Inocente, Ella não é nada como as mulheres interesseiras e ambiciosas com as quais Aristandros está acostumado. Ela acreditava que seria questão de tempo até Aristandros se cansar desse jogo de sedução, mas estava profundamente enganada.  

Inocência - Kate Walker Anos atrás, Jessica Marshall se apaixonara pelo sensual grego Angelos Rousakis. Contudo, sua tentativa desastrosa de atraí-lo fez com que Angelos perdesse tudo. Sete anos mais tarde, ele volta determinado a possuir tudo o que é seu por direito… incluindo Jessica! Completamente seduzida, ela não sabe se Angelos está em busca de prazer… ou de vingança!  


Cativa do inimigo - Sara Craven 

Natasha Kirby está no meio do fogo cruzado da disputa entre sua família e os Mandrakis. O impiedoso magnata Alex Mandrakis tem a empresa dos Kirby nas mãos, e pretende usar essa vantagem a seu favor. Por isso, dá a Natasha um ultimato: sua inocência em troca da salvação do império. Cativa no luxuoso iate de Alex, o medo de Natasha se transforma em uma paixão incontrolável. Ela sabe que deveria odiá-lo, mas cada toque de Alex a faz desejar que essa sedução implacável dure para sempre.  

Somente a negócios - Day Leclaire 
Gabe Piretti nunca esqueceu a mente brilhante e o corpo sensual de Catherine Haile, apesar de ter sido abandonado por ela anos atrás. O plano para trazê-la de volta para sua vida – e sua cama – já estava em andamento quando Catherine pede ajuda para salvar sua empresa. Gabe usará o desespero dela para conseguir o que deseja. Mas o que acontecerá quando ele tiver de escolher entre os negócios e o prazer?

  • Primeiros Sucessos traz Sherryl Woods e Linda Howard com “O presente ideal + Pequeno milagre”.
O presente ideal - Qual era a graça de comemorar o Natal sem um marido bonitão do lado? Para a tia Mae, nenhuma! Por isso, ela resolve não perder tempo e dá um jeito de enviar o homem ideal para sua sobrinha Savannah Holiday. Mas será que Savannah se tornaria noiva do milionário Trace Franklin a tempo das festas de fim de ano?  


Pequeno Milagre – Linda Howard 
Grávida e sozinha durante uma nevasca, Kathleen Fields se vê em apuros ao entrar em trabalho de parto prematuramente no dia de Natal. Ao se arriscar pela perigosa rodovia a fim de chegar ao pronto-socorro, fica presa e logo perde as esperanças de salvar o bebê! Até que um milagre acontece quando o médico Derek Taliferro aparece inesperadamente. Juntos, trazem a filha de Kathleen ao mundo. E descobrem que o amor é o maior presente de todos... 

  • Harlequin Special traz “Noites de esperança” da autora Susan Meier.
O milagre do Natal ao alcance de todos! Milagre Inusitado
Após a morte da esposa, Clark Beaumont está tentando viver o espírito natalino pelo bem das crianças. Mas com o filho indo mal na escola e a filha quase sem falar, ele precisa de um verdadeiro milagre. Althea Johnson era para ser apenas a tutora do menino. Porém, com sua ajuda, os Beaumont voltam a ganhar vida. E conforme o Natal se aproxima, Althea começa a sonhar em passa-lo ao lado desta família.

Acordo Perfeito

Quando Ricky Langley oferece ajuda a Eloise, ela sabe que não pode recusar. Em troca, terá de acompanhá-lo a doze festas de Natal. Sim, Ricky é incrivelmente lindo e charmoso, mas isso é apenas um acordo de negócios... Mas os sentimentos dela não entendem as regras! Ricky tem os motivos próprios para detestar essa época do ano. Porém, a cada encontro, Eloise o faz gostar mais do feriado natalino. E ele começa a abrir seu coração para um futuro muito diferente ao lado dela. 

Após a morte da esposa, Clark Beaumont está tentando viver o espírito natalino pelo bem das crianças. Mas com o filho indo mal na escola e a filha quase sem falar, ele precisa de um verdadeiro milagre. Althea Johnson era para ser apenas a tutora do menino. Porém, com sua ajuda, os Beaumont voltam a ganhar vida. E conforme o Natal se aproxima, Althea começa a sonhar em passa-lo ao lado desta família. 


  • TERRI BRISBIN está em Harlequin Históricos com “Coração Honrado”.
Christian Dumont passou a vida sendo cobrado pelos pecados do pai. Agora um matrimônio lhe dará a oportunidade de recuperar seus bens. Lady Emalie Montgomerie não se opõe ao casamento, contudo, carrega um segredo que coloca em risco o futuro da união. Ainda que no coração sua honra permanecesse intacta, Emalie sabia que deitar-se no leito nupcial sem ser pura era um erro imperdoável. Ainda assim, o desejo que ardia no olhar de Christian dava-lhe esperanças. Mas será que ele aceitaria a criança de outro homem?






  • Fim da serie “Clube dos milionários” em Desejo Dueto.
TEIA DE TRAIÇÃO – Sarah M. Anderson 
Ele consegue o que deseja… A vida tem sido muito dura para Chance McDaniel desde que fora traído pelo amigo. E quando a decepção se torna um escândalo bastante público, Gabriella del Toro aparece para confortá-lo. Agora a sorte de Chance está prestes a mudar. Ele quer conquistar a inocente Gabriella, e seduzi-la é sua prioridade. Ela crescera em uma família superprotetora, e sempre desejou mais. Ao lado desse cowboy milionário, Gabriella tem a chance de ser livre! Porém, uma teia de intrigas colocará em r
isco o futuro dessa relação…
  
NOVA MISSÃO – Charlene Sands 
Segunda chance… Recuperado da amnésia, Alex del Toro tem uma nova missão: expor seu sequestrador e reconquistar o amor de sua noiva. Mesmo tendo escondido o verdadeiro motivo pelo qual se mudara para Royal, não há nada de falso em seus sentimentos por Cara Windsor, a filha de seu maior rival. Os instintos de Cara indicam que ela deveria se afastar do homem que a enganou e que tentou roubar os negócios da família. Mas ela também carrega um segredo que mudará o destino de ambos: Cara espera um filho de Alex. 


Impossível não desejar todos esse livros, para ter acesso a lista COMPLETA de lançamento e suas capas INCRÍVEIS, basta acessar o Pinterest da editora clicando AQUI.

Que novembro seja um mês cheiiiiio de romances para todos nós ;)
Beijinhos,





1 de novembro de 2015

Resenha: Sniper Americano da @Intrinseca

Olá envenenados, quanto tempo hein?!
Saudade de dividir com vocês meu tempo, peço desculpas pelo sumiço. A correria do serviço e dos estudos acabam nos afastam da melhor parte de nossas vidas... 
 Bom prometo me esforçar ao máximo para não sumir por tanto tempo assim de agora em diante.


Sniper Americano

Autor
: Chris Kyle
Editora: Intrinseca
Série: -
Categoria: Biografia
Páginas: 352
Lançamento: 2014




Sinopse:

O perturbador relato autobiográfico do atirador mais letal da história das forças armadas norte-americanas!
Ao longo de uma década de serviço, incluindo diversas incursões ao Iraque e a outras zonas de combate durante o auge da chamada Guerra ao Terror, Chris Kyle, atirador de elite dos Seals, alcançou o recorde de mais de 150 mortes confirmadas pelo Pentágono. No livro, ele fala abertamente dos sofrimentos da guerra, da morte brutal de alguns companheiros, da ação como atirador e da frieza e precisão que desenvolveu ao longo do serviço, lançando luz não só sobre a perturbadora realidade dos combatentes como também sobre a extrema dificuldade da readaptação dos que retornam ao lar. 
Em 2013, Chris Kyle foi assassinado a tiros por um veterano da guerra do Iraque que sofria de estresse pós-traumático. 



Peguei para ler Sniper Americano por acaso, no meu serviço conversamos muito sobre guerra, ataques terroristas e como deve ser conhecer alguém que está envolvido diariamente com esse mundo. Em uma dessas conversar minha amiga comentou a história de Chris Kyle e como ficou chocada, curiosa para saber o que aconteceu peguei o livro para folhear e ver as fotos. Não contente com apenas dar uma olhadinha comecei a ler a introdução e não consegui parar de ler...

Chris Kyle era o típico texano, apaixonado pelo muito country, desde muito novo, participava de rodeos e trabalhava em fazendas.
Em um desses eventos ele acabou se machucando. Impedido de continuar com essa vida Chris decidiu alistar-se nas forças armadas norte-americana.

Desde a primeira página o leitor tem conhecimento do patriotismo de Kyle, não importa quão difícil possa ser, estar na guerra para defender seu país e seus colegas sempre foram seu foco.

O livro é cheio de termos usados durante missões militares, apresentação de várias armas utilizadas em campo, mas também de sentimento. Em paralelo com toda a adrenalina da guerra temos o ponto de vista de Taya, esposa de Chris. Em vários momentos temos seus depoimentos de como foi sua vida enquanto o marido estava no Iraque, como é difícil criar um menino sem a presença do pai e a apreensão de não ter noticias por dias.

Chris serviu ao exercito por 4 desdobramentos, se especializou para ser um atirador de elite e chegou ao reconhecimento de “o melhor” por merecimento, mas em nenhum momento lemos seu depoimento se vangloriando de seus feitos.

Longe de mim defender a guerra e muito menos a violência que ela gera, é que durante a leitura percebemos o quanto estar nessas missões, defender aquilo que acredita, faz a diferença. É um ponto de vista totalmente diferente do meu.

Super recomendo a leitura dessa biografia para quem tem curiosidade sobre como é estar em uma guerra e de como um militar é treinado para isso. Fiquei um pouco decepcionada pois no final do livro não citam a morte de Chris e qual a repercussão que ela teve nos EUA.

*Calma gente não estou contando nenhum spoiler, basta ler a orelha e na sinopse do livro para saber.*

O livro fez tanto sucesso que recebeu uma super adaptação para as telonas, contanto com Bradley Cooper no papel de Chris. Ainda não tive tempo para assistir mas li vários comentários de que o filme é excelente.



23 de outubro de 2015

Sexta Envenenada: Ligeiramente Escandalosos

“Acho você muito tolo.
Terrivelmente tolo.
Ainda bem que nunca nos casaremos.
Ela empinou o nariz e saiu pisando firme na direção de Eve e Aidan,
tentando se convencer de que acabara de dizer a verdade.
Odiava Joshua.
Como ele ousava ser tão nobre e tão tolo?”
Irritantemente e escandalosamente maravilhoso!



Olá, Envenenados!


Inteiros para curtir uma sexta-feira tão aguardada?
Espero que sim, pois apesar de toda essa crise que estamos enfrentando – que duvido que tenha uma solução imediata – vamos buscando meios para superar e continuarmos inteiros.
Infelizmente, nosso já tão maltratado país, desde a “descoberta”, vem sendo exposto mundialmente em seus pontos mais negativos, seja na educação, saúde, transportes, segurança e principalmente no cenário político, do qual todas as outras áreas dependem. Enfim, cabe a nós mudar o que está aí através das nossas escolhas e vigilância, precisamos mudar nossa maneira de agir quando o assunto é eleição.
Para serem eleitos, os canalhas que esfregam escândalos após escândalos em nossa cara, precisam dos nossos votos. E quando os elegemos, precisamos cobrar posturas éticas e soluções verdadeiras para os problemas do país, não nos calando quando vemos nosso dinheiro ser usado como eles bem entendem.
Ainda que pareça impossível mudar, não podemos perder a esperança, devemos continuar em busca de crescimento e dignidade para o nosso Brasil.
Hoje eu trouxe outro escândalo para comentar.
Mas dessa vez um escândalo no bom sentido: um escândalo de livro, de autora, de história, de personagens... de família.
Estou falando de Ligeiramente Escandalosos de Mary Balogh, publicado recentemente pela Editora Arqueiro.
Ligeiramente Escandalosos é o terceiro volume da série Os Bedwyns e conta a história de Freyja Bedwyn e Joshua Moore.
Freyja Bedwyn é uma mulher diferente das outras damas da alta sociedade: impetuosa e decidida, ela preza a independência e a liberdade acima de qualquer coisa – até mesmo do amor. 
Até que o destino lhe apresenta Joshua Moore, o marquês de Hallmare, um homem cheio de charme e mistério, dono de uma beleza estonteante e de uma reputação terrível. Quando ambos se encontram a caminho da pacata cidade de Bath, a química entre os dois é imediata. 
Entre encontros e desencontros, conflitos e provocações, Joshua faz uma proposta inusitada: pede que Freyja finja ser sua noiva, para evitar que uma artimanha de sua tia o leve a se casar com a própria prima. 
Para uma dupla que acha graça das convenções sociais, esta parece ser a oportunidade perfeita para se divertir. Mas a brincadeira acaba trazendo consequências inesperadas. Aos poucos, suas máscaras vão caindo e ambos se revelam pessoas bem diferentes do que aparentam. 
Neste terceiro livro da série Os Bedwyns, Mary Balogh se aprofunda ainda mais nos segredos e desejos dessa família incomum e extremamente sensual.”
Depois de sermos ligeiramente e definitivamente conquistados pelos dois primeiros romances dessa série, ficamos entre dois extremos: ou esperamos que o próximo supere, ou que seja morno, apenas completando as histórias de cada um dos Bedwyns.
No primeiro caso, achamos difícil que um livro seja tão incrível como o anterior, mas Mary Balogh parece possuir um poder mágico para contar histórias. E, no caso de Freyja Bedwyn, eu confesso que não esperava muito, justamente por ter uma personalidade muito forte, convicções bem claras e definidas, posição social muito estável e, aparentemente, não esperar que um grande amor surja em sua vida.
Enfim, cá estou eu, mais uma vez redondamente enganada!
O livro é mesmo um escândalo.
A começar pelo protagonista masculino que é um verdadeiro encanto em todos os sentidos, pela maneira como se conhecem, como têm suas vidas ligadas, mesmo contra sua vontade e mais ainda, neste volume podemos ver todos os membros da família Bedwyn reunidos e unidos por um objetivo comum.
Joshua é extraordinário, é um personagem simples e, que por isso mesmo torna-se enigmático. Suas atitudes e reações fluem tão naturalmente como se fosse alguém da vida real, e vamos descobrindo, aos poucos e bem sutilmente, suas facetas honoráveis, heroicas, surpreendentes, ao mesmo tempo que a independente e bem resolvida Freyja.
Por essas e outras é que ele é o absinto de hoje.
Tentando manter-se longe da história vivida pelo homem com quem sonhava se casar e pela mulher com quem ele se casou, Freyja busca refúgio no convite para visitar a cidade de Bath. Mas nem desconfia que essa “fuga” da realidade a fará viver situações extremamente inusitadas.
Ela acabara de sair de Leicestershire, onde visitara a avó doente e comparecera ao casamento do irmão Rannulf com Judith Law (Ligeiramente Maliciosos). Deveria voltar para casa, para Lindsey Hall, em Hampshire, com Wulfric, que era o duque, e os irmãos mais novos, Alleyne e Morgan. Mas a perspectiva de estar em Lindsey Hall naquele momento era intolerável para Freyja. Então, ela usara a única desculpa que tinha para não voltar.”
Agora, ela precisa pernoitar em uma hospedaria muito abaixo do nível a que está acostumada, para poder seguir viagem e passar alguns dias na casa de uma amiga em Bath.
Sozinha no quarto, por escolha própria, já acomodada e adormecida, é surpreendida por  um desconhecido que o invade, já que a porta não possuía tranca.
Freyja acordou sobressaltada algum tempo depois, quando a porta do quarto subitamente foi aberta e depois fechada de novo. Não tinha certeza se estava sonhando até ver um homem dentro do quarto, vestido com uma camisa branca aberta no colarinho, calça escura e meias, um casaco jogado sobre um dos braços e um par de botas na outra mão.
Freyja saltou da cama como se tivesse sido ejetada por um canhão e apontou com determinação para a porta.
– Saia daqui! – gritou.
O homem abriu um sorriso tão largo que era visível mesmo na penumbra do quarto.
– Não posso, coração – retrucou ele. – O caminho por onde vim guarda um destino cruel. Preciso sair pela janela ou me esconder em algum lugar aqui.
– Saia já daqui! – gritou Freyja novamente, sem abaixar o braço nem o queixo. – Não dou abrigo a malfeitores nem a qualquer tipo de criatura do sexo masculino. Vamos, saia daqui!
De algum lugar no andar de baixo ouviam-se passos e vozes agitadas, todas falando ao mesmo tempo. Os sons se aproximavam depressa.
– Não sou nenhum malfeitor, meu anjo – disse o homem. – Apenas um inocente que estará muito encrencado se não desaparecer rápido. O guarda-roupa está vazio?
– Saia! – Ela ordenou mais uma vez.
Mas o homem atravessou o quarto em disparada até o guarda-roupa, abriu a porta e, ao constatar que estava vazio, entrou nele.
– Me dê cobertura, coração – pediu, antes de fechar a porta pelo lado de dentro –, e me salve de um destino pior do que a morte.
Quase no mesmo instante, Freyja ouviu uma batida insistente na porta. Ela não sabia o que fazer. Então a porta foi aberta mais uma vez, revelando o estalajadeiro segurando uma vela, um cavalheiro grisalho e robusto, e um indivíduo careca e corpulento que precisava muito se barbear.”
Essa confusão toda é só o princípio de uma história que nos faz refletir sobre primeiras impressões, sobre lealdade, cumplicidade e confiança.
Mary Balogh deu vida a dois personagens nada óbvios, sem complicações, e aparentemente sem traumas para culpar suas desventuras. Eles simplesmente encaram a vida que têm, sem muitas perspectivas, sem exigências, a não ser de si mesmos.
Joshua é um jovem que foi criado na casa dos tios desde os 6 anos, após a morte de seus pais. O tio, o marquês de Hallmare tem quatro filhos, entre eles Albert, que herdaria o título e as propriedades, não fosse sua morte prematura.
Assim, Joshua acaba se tornando o herdeiro após a morte do tio.
Ao contrário do que alguns acreditam, ele não desejava nada disso, mas não tem outra alternativa, a não ser aceitar seu destino como o novo Marquês de Hallmare. Entretanto, pretende manter-se afastado da propriedade do marquesado, deixando que sua tia e primas permaneçam ali pelo tempo que desejarem, e parte para viver livremente as aventuras que encontrar.
Dono de uma beleza estonteante, ele ainda tem de bônus uma personalidade límpida, extrovertida e irreverente, haja vista a maneira como trata Freyja logo de início. E não se enganem, ele não é um conquistador barato. Pelo contrário, é tão charmoso com seus sorrisos e piscadelas que é fácil nos encantarmos por ele. Além, claro, do título e da fortuna.
Mas Freyja não faz ideia de quem seja aquele homem irritante que invadiu seu quarto. E, como ela não é uma moça convencional, também consegue conquistar nossa admiração.
Depois de expulsar os outros homens que também invadiram seu quarto, decide que jamais indicará essa estalagem a nenhum dos seus conhecidos.
David Filipiak
Freyja quase se esquecera do homem no guarda-roupa, até que a porta do armário se abriu com um rangido e ele saiu do espaço apertado. Sob a luz que entrava pela janela, ela pôde perceber que ele era um homem jovem e alto, com membros longos. E muito louro. E provavelmente tinha olhos azuis, mas não havia luz o bastante para que Freyja comprovasse sua teoria. No entanto, o que vira era o suficiente para imaginar que o homem era bonito demais. Também parecia muito animado, o que era absolutamente inadequado.
– Foi uma performance magnífica – comentou ele, pousando as botas hessianas e jogando o casaco sobre a cama extra. – Você é realmente irmã do duque de Bewcastle?
Sob o risco de parecer tediosa e repetitiva, Freyja apontou mais uma vez para a porta.
– Saia! – ordenou.
Mas ele apenas sorriu e se aproximou mais um pouco.
– Acho que não é... – disse o homem. – Por que a irmã do duque estaria hospedada num estabelecimento modesto como este? E sem uma criada ou uma acompanhante para cuidar dela? Mesmo assim, foi uma atuação fantástica.
– Consigo viver sem a sua aprovação – observou Freyja, com frieza. – Não sei o que fez que possa ser tão hediondo. E não quero saber. Quero é que saia desse quarto agora! Encontre outro lugar para se encolher de medo.
– De medo? – Ele riu e levou a mão ao coração. – Você me magoou, meu encanto.
O homem estava parado muito perto de Freyja, então era possível notar que o topo da cabeça dela mal alcançava o queixo dele. Sempre fora baixa, estava acostumada a governar o próprio mundo de uma altura abaixo do nível onde acontecia grande parte da ação.
– Não sou coração, muito menos seu encanto – disse ela. – Vou contar até três. Um.
– Com que propósito? – Ele pousou as mãos ao redor da cintura dela.
Dois.
O homem abaixou a cabeça e a beijou na boca. Os lábios dele estavam levemente abertos, o que tornou o toque íntimo, úmido, quente.
Freyja respirou fundo, jogou o braço para trás e acertou o homem com força no nariz.
– Ai! – disse ele, segurando o nariz entre os dedos e movendo o maxilar de um lado para o outro. Quando o homem retirou a mão do rosto, Freyja teve o prazer de ver que tirara sangue dele. – Ninguém lhe ensinou que, em circunstâncias escandalosas como esta, qualquer dama daria um tapa no rosto do homem, e não um soco no nariz?
– Não sou qualquer dama – retrucou Freyja, com determinação.
Ele sorriu novamente e secou o sangue do nariz com as costas da mão.”
Este sim, é um livro com muita ação, um verdadeiro conflito, mas não de armas, e sim de personalidades: Joshua descobrirá o prazer de provocar uma mulher muito singular e Freyja encontra um adversário perfeito.
Em meio a uma dessas disputas ele descobre que está para ser comprometido por uma artimanha de sua tia, para forçá-lo a se casar com sua filha. De maneira irônica, Joshua pergunta a Freyja se não estaria disposta a salvar sua pele nesse momento.
Uma vez confrontada pela tia, pouco antes desse convite, Freyja aceita a proposta, assim poderá ver a cara da tia quando anunciarem seu suposto noivado.
E é isso, meus amigos, uma história cheia de reviravoltas, de segredos revelados, de personagens fortes e de muita emoção, em todos os sentidos, está aguardando vocês, logo após essa capa linda que a Arqueiro escolheu.
Preparam-se para um misto de sarcasmo, implicâncias, confusões familiares no melhor estilo Bedwyns, revelações impressionantes e uma sensualidade envolvente.
Eu estou obviamente numa ressaca literária, pois depois desse escândalo de livro, demorei a começar outro, com receio de não ler mais nada tão bom.
E assim, deixo vocês, com uma vontade enorme de encontrar um lorde assim, como Joshua, que me provoque reações tão escandalosas!
Fiquem bem e Carpe Diem!

Ou receba as atualizações no seu email:

Delivered by FeedBurner

Posts Recentes

Últimos Comentários

As envenenadas pela maçã Ѽ by TwilightGirls RJ Ѽ - Copyright © 2012 - Todos os Direitos Reservados