21 de março de 2014

Resenha: Peça-me o que Quiser, Agora e Sempre


Peça-me o que Quiser, Agora e Sempre

Autor: Megan Maxwell
Editora: Suma das Letras

Série: Peça-me o que Quiser - Volume 02
Páginas: 336
Lançamento: 2014







Sinopse
Judith Flores e Eric Zimmerman.
Uma espanhola; um alemão.
No inicio, uma atração irresistível os uniu.
Agora, uma paixão  sem limites os domina.
Em Peça-me o que quiser, agora e sempre, a aguardada continuação da surpreendente história de amor e sexo entre uma espanhola e um alemão, Judith terá que tomar a decisão mais difícil de sua vida. Será que viver sua paixão é tudo o que realmente importa?
Decidida a se afastar para sempre de Eric Zimmerman, Judith pede demissão da empresa Müller. Para se recuperar, resolve se refugiar por um tempo em Jerez, com seu pai. 
Desesperado com a partida de Jud, Eric vai atrás de seu amor. “Algo tão inesperado como você está trazendo emoção a um amargurado alemão. Onde você estava durante toda a minha vida?”, confessa Iceman.
Ela resiste o quanto pode, mas a atração entre eles continua forte, e as fantasias sexuais mais vivas do que nunca. Mas desta vez é Judith quem impõe suas condições, e ele deve aceitar para não perdê-la.
Tudo parece bem outra vez, até que uma ligação inesperada obriga o casal a interromper a reconciliação: a família de Eric o chama com urgência, e os dois voam para Munique. Judith procura se adaptar ao novo ambiente numa cidade que lhe parece hostil. Longe de seu mundo, terá de decidir se deve de fato dar uma nova oportunidade ao relacionamento, embora tenha plena consciência do quanto o deseja: “Antes eu tinha três vícios. Coca-cola, morangos e chocolate. Agora acrescento um, mais forte e poderoso, chamado Eric. Eu o desejo... desejo e desejo. Não importa a hora, o momento ou o lugar... eu o desejo.”. Poderá o amor vencer as diferenças e transformar suas vidas?
 
Olha que eu peço! Mas cuidado, pois sou exigente!
Depois de sair da empresa e da vida de Eric, Judith tenta equilíbrio no aconchego da família. Acontece que todos, até sua sobrinha, conspiram para que ela se reconcilie com ele.
E o alemão está decidido a não facilitar esta saída.
Desesperado, ele recorre à família e aos amigos de Judith.
Quando estão em negociações sobre como tudo será em suas vidas e as regras de sua relação, Eric precisa voltar à Alemanha com urgência; mas reboca Judith com ele.
Em Munique, ela se encanta com o mundo do seu amado e é bem recebida por todos; a mãe e a irmã de Eric, pelo casal de funcionários que trabalham em sua casa e pelos amigos dele, que vai conhecendo a cada dia. Apenas Flyn, o sobrinho do cara, lhe declara guerra. A criança não aceita ninguém, a não ser Eric, perto o bastante.
Há alguns meses publicamos um pouco da história de Judith e Eric na Sexta Envenenada, no lançamento do primeiro volume.
Na época fiquei bastante impressionada com a ousadia da história, pois como disse, tratava-se de um romance com experiências sexuais, até então, não muito abordada em livros. Estava mais para vídeos pornôs mesmo.
Peça-me o que Quiser, Agora e Sempre, continua a nos apresentar muito sexo escaldante entre os protagonistas, com direito a acessórios e brinquedinhos interessantes. Mas também continuamos a ver Eric compartilhando Judith, só que agora ela é quem pede isso. Pois é: a guria gostou da coisa. Mas, para quem não conhece a história, ele a “oferece”, não como um cafetão, mas para um grupo de pessoas, todas de seu círculo de amizades. Sabem como é né, não iria oferecer para desconhecidos – como se isso amenizasse a situação.
Se o primeiro livro me impressionou e me prendeu a atenção, este deixou um pouco a desejar. E não estou falando das cenas de sexo, não. Estas ficaram até forçadas demais, desnecessárias demais.
Para mim, o ponto forte do livro mesmo foi a rejeição que Flyn tem por Judith. Até torci para que ele aprontasse bastante com ela, que neste volume está bastante chatinha.
O menininho é criado pelo tio desde que sua mãe morreu anos atrás. Eric assumiu tudo o que diz respeito à criança e é superprotetor. Por outro lado, Judith, que curte esportes radicais, em algumas tentativas de conquistar o coraçãozinho do moleque lhe dá patins, skates, entre outras coisas, o que enfurece o namorado. Assim, Flyn torna-se um dos motivos para os maiores barracos no lar-doce-lar germânico-latino.
Outra razão gigantesca para os arranca-rabos entre eles é o ciúme doentio que alinhava sua relação.
Tudo normal, numa história como esta, mas a possessão que ambos demonstram é bizarra, com direito a bofetas e pé no traseiro.
Para mim, foi uma enxurrada de “meu amor”, “meu namorado”, “meu gato”, “meu Iceman”,”pequena”, "moreninha", “deusa”... a cada parágrafo. Além disso, sempre que Judith é apresentada como espanhola a algum conhecido de Eric, sempre tem que ouvir “Olé, castanholas” entre outras coisas. E olhem que ela foi apresentada a gente pra caramba.
Eu tenho um problema com livros narrados em primeira pessoa, então, ficaram muito cansativos a carência, a ira, o tesão, os chiliques, as descrições de como estavam vestidos e sexys, pois enfocam o ponto de vista de apenas um personagem. Tudo bem para uma personagem latina,dá-lhe estereótipo, que, a certa altura, também se aborrece com os “Olé, castanholas!”, e acaba se denominando brasileira, só para ver o resultado e o que ouve: "Futebol, caipirinha"!
Entre tapas e beijos, segredos e desafios, suingues e orgias, eles tentam adaptar-se como casal e, apesar do jeitão possessivo e mandão de Eric, ele é o meu personagem querido, junto com o sobrinho, em Peça-me o que Quiser, Agora e Sempre.
Me resta agora conferir o próximo volume para saber o desenlace dessa novela mexicana – digo, espanhola - Olé! Touro! Castanholas!
Beijos e fiquem bem!
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Destile seu veneno, comente!

Ou receba as atualizações no seu email:

Delivered by FeedBurner

Posts Recentes

Últimos Comentários

As envenenadas pela maçã Ѽ by TwilightGirls RJ Ѽ - Copyright © 2012 - Todos os Direitos Reservados