31 de outubro de 2013

Resenha dupla: O clube do livro do fim da vida pela @edobjetiva




O clube do livro do fim da vida

Autor
: Will Schwalbe 
Editora: Objetiva
Categoria: Biografia
Páginas: 296
Lançamento: 2013

saraivasubmarinotravessa


Sinopse:


"O que você está lendo?”. Esta é a pergunta que Will Schwalbe faz para a mãe, Mary Anne, na sala de espera do instituto do câncer Memorial Sloan-Kettering. Em 2007, ela retornou de uma viagem de ajuda humanitária ao Paquistão e ao Afeganistão doente. Meses depois, foi diagnosticada com um tipo avançado de câncer no pâncreas. Toda semana, durante dois anos, Will acompanha a mãe às sessões de quimioterapia. Nesses encontros, conversam um pouco sobre tudo, de coisas triviais como o café da máquina ao que, para eles, realmente importa: a vida e os livros que estão lendo. A lista vai do clássico ao popular, da poesia ao mistério, do fantástico ao espiritual. Eles compartilham suas esperanças e preocupações através dos livros prediletos. As conversas tornam-se um momento de profunda confiança e intimidade. Mãe e filho se redescobrem, falam de fé e coragem, de família e gratidão, além de serem constantemente lembrados do poder que os livros têm de nos reconfortar, surpreender, ensinar e dizer o que precisamos fazer com nossas vidas e com o mundo. Em O clube do livro do fim da vida, o autor faz uma declaração de amor à mãe, percorrendo a vida da corajosa e especial Mary Anne, a carreira nos anos 1960, o trabalho voluntário em países em guerra e, finalmente, o projeto de fundar uma biblioteca nômade no Afeganistão. Mesmo muito debilitada, ela não abre mão de fazer com que o tempo que lhe resta seja útil — para a família, os amigos ou uma criança necessitada do outro lado do mundo. Uma alegre e bem-humorada celebração da vida.





Alguém já ouviu ou leu algo sobre Mary Anne Schwalbe!? Não!? Sem problemas eu conto para vocês...


Ela foi uma das fundadores da Comissão Feminina de Refugiados, que percorre o mundo ajudando mulheres, crianças e adolescentes que foram afetados pela guerra e perseguição. Engana-se quem acredita que essa incrível mulher ficou apenas com a parte burocrática da coisa, ela viajou para vários desses campos ao redor do mundo(Afeganistão, Sudão, Tailândia).


Mary Anne também foi educadora, diretora de admissões em Harvard e Radcliffe, esposa, mãe e acima de tudo amiga. Em 2007 ela foi diagnostica com câncer no pâncreas, já em estado avançado... é a partir daí, e pelo ponto de vista de seu filho do meio Will, que vamos conhecer melhor a vida dela.

Quando me apresentaram O clube do livro do fim da vida, achei que fosse uma ficção triste, onde um filho acompanha  a mãe para sessões de quimioterapia e para melhorar as horas dentro do hospital acaba criando um clube do livro onde discutem a leitura e trocam experiencias.

Mas esse impressão não chegou nem perto do turbilhão de emoções que é esse livro; uma biografia que relata o passado e o "presente" de uma família unida pela paixão pelos livros e decidida em aproveitar cada momento que resta ao lado de sua base: uma mãe guerreira que mesmo debilitada lutou para realizar o sonho que criar a primeira biblioteca móvel no Afeganistão.

Will é um cara que trabalha como editor e que sua vida sempre esteve ligado com a leitura, fundar o clube do livro com sua mãe torna a rotina mais leve e um alento, que no futuro, servirá de valorizar recordação para Will.

"(...) Eles(os livros) nos lembraram que, onde quer que minha mãe e eu estivéssemos em nossas jornadas individuais, ainda podíamos compartilhar livros, e enquanto estivéssemos lendo esses livros não seríamos a pessoa doente e a pessoas saudável; seríamos apenas uma mãe e um filho adentrando em novos mundos juntos."
Durante essas horas, um aprende com o outro, compreende, e dá forças. Apesar da iminência da dor, juntos, eles avançam cada etapa. Como Will diz, pode ser que cronologicamente os fatos estejam errados, ou que as lembranças não sejam tão claras, mas isso não é relevante. Nada disso altera o conteúdo e a importância de cada acontecimento em sua vida. 

Desde as primeiras páginas já sabemos o que vai acontecer, o final não é nem um pouco feliz e a todo momento Will não nos deixa esquecer que todos os fatos narrados foram momentos de despedida. Ele tem medo de dizer que tem orgulho da mãe e que a ama mais que tudo achando que isso fará o fim chegar mais rápido e nós, leitores, prendemos a respiração todas as vezes que vemos a quantidade de dias "não tão bons" aumentando.

Uma história repleta de amor, superação, metas e bons livros... é um livro que fala de perda, da tristeza que é perder alguém a quem se ama muito e de uma forma lenta e dolorosa. Will, definitivamente, conseguiu transformar suas lembranças em algo belo e tocante. 

Na saída, um amigo cuja a esposa morrera de câncer anos antes disse a ela: "Isto deve ser exaustivo para você." E mamãe não respondeu sim nem não. Apenas sorriu e disse: "É minha última festa"

Beijinhos,
 & 

30 de outubro de 2013

Doce Veneno #26: Halloween!!!


Olá, envenenados!
 
Tudo bem com vocês? Espero que sim! Antes de mais nada, quero dizer que apesar das muitas visualizações da última postagem, tive poucos comentários.
É tão triste quando vocês não comentam... é quase como se eu estivesse falando com as paredes! =P Mas, como prometido, hoje é dia 30, amanhã é dia 31/10 e DIA DAS BRUXAS e essa é a postagem de comemoração! Esse é meu não feriado favorito no mundo e que eu adoraria se o Brasil incorporasse a tradição, rs.
 
Doce Veneno: Feliz Dia das Bruxas!

 

Para quem não sabe, o Halloween é uma festa que tem como base as antigas celebrações dos celtas. A origem está na celebração do Samhain, fim do verão no calendário celta, que acontecia entre 30 de outubro e 2 de novembro. Esse era o ano novo celta, que dava início ao inverno, uma vez que para eles só haviam as duas estações. Na origem mística dessa data, os dias que hoje conhecemos como Dia das Bruxas, Dia de Todos os Santos e Dia de Finados era conhecido entre os celtas como os dias que os mortos voltavam para suas casas para visitar seus familiares. Era também a data na qual o véu, o nevoeiro entre os dois mundos (o nosso e o Outro) ficava mais tênue e era possível aos elfos passar para o nosso mundo e serem vistos.

Nessa linha de raciocínio, acredita-se que com a romanização,(expansão do Império Romano e consequentemente a Igreja Católica) a Igreja tentou associar uma data de festejo extremamente popular entre os pagãos a alguma festa católica; tornando assim uma comemoração cristã no todo.
 
 

Mas aí vocês devem estar se perguntando de onde vem essa tradição de se fantasia e de pedir doces nas casas, certo? Pois é, isso não faz parte da tradição da data e acredita-se que foi sendo incorporada de acordo com alguns acontecimentos. O costume das fantasias, por exemplo, é provável que tenha vindo da França, que durante a Idade Média foi assolada pela Peste Negra e matou boa parte de sua população – assim como fez em toda a Europa. Assim, na comemoração do dia dos mortos, as pessoas vestiam-se de figuras macabras, como a própria morte, por exemplo, para lembrarem o quanto a vida era efêmera que a morte estava aí para todos.
 
 
 

 
Já o costume de pedir doces, pensa-se que surgiu na Inglaterra, durante a perseguição aos católicos e que culminou com a Conspiração da Pólvora. Na casa de Guy Fawkes foi encontrada bastante pólvora escondida que seria utilizada para explodir o parlamento como todos lá dentro. Assim, os protestantes começaram a utilizar a data para bater nas portas pedindo cerveja e pastel dos católicos, sob o estigma do Trick or Treat (doce ou travessura). Esse costume foi trazido para a América pelos irlandeses que aqui chegaram.
 

 

Obviamente, toda a história do Halloween vai passando por transformações. É possível ouvir mais de uma versão para a mesma, mas essa é a que mais me convence. Hoje em dia, a festa de Samhain praticamente já perdeu seu sentido. É muito mais um feriado, uma comemoração que as pessoas utilizam apenas para se fantasiar e pedir doces (isso se você tiver a sorte de morar em um país onde eles comemoram a data). A tradição de utilizar abóboras decorativas, por exemplo, é relativamente recente, e assim como as fantasias, atualmente prega-se que é para afastar os maus espíritos.
 

Uma coisa que acho interessante é que todos os países de origem cristã comemoram pelo menos um desses três dias (31, 01 e 02) como um feriado importante no seu calendário. Aqui no brasil, comemoramos no dia 2 de novembro. ;)

Talvez vocês se perguntem por que eu gosto tanto do dia das Bruxas. A resposta é simples. Eu comecei a gostar quando vi filmes que mostravam a comemoração. Eu adoro uma festa, e quando misturam com fantasia e comida, eu gosto mais ainda. Quando descobria  origem, gostei mais ainda. Sempre me encantei pela cultura celta e isso só me fez gostar ainda mais da data, mesmo tendo perdido suas raízes.

 
Obviamente, já faz parte do ritual do dia assistir a bons filmes de terror. Se você, assim como eu, morre de medo desses filmes mas não consegue evitar assistí-los, aí vai uma listinha de bons filmes: Halloween, Brinquedo assassino, It, Possessão, O Exorcista, Poltergeist, A Mulher de Preto, Mama, Atividade Paranormal e o mais recente, A Invocação do Mal. Todos são ótimos e assustadores, e se a aura do dia, se pensarmos como os celtas – que o véu se torna mais fino e é possível passar entre os dois mundos – fica ainda mais assustador. ;)
 
 
E para vocês qual feriado vocês gostariam de fosse adaptado para o nosso calendário!?
 
Beijinhos,
 

29 de outubro de 2013

Resenha: 'A desconstrução de Mara Dyer' da @GaleraRecord



Editora: Galera Record
Autora: Michelle Hodkin
Páginas: 378
ISBN: 8501098582
Publicação: 2013

Série Mara Dyer
1- A Desconstrução de Mara Dyer (2013);
2- The Evolution of Mara Dyer (ainda não lançado por aqui);
3- The Retribution of Mara Dyer (previsão de lançamento em inglês em 2014)



Sinopse

Um grupo de amigos... Uma tábua ouija... Um presságio de morte. 

Mara Dyer não estava interessada em mensagens do além. Mas para não estragar a diversão da melhor amiga justo em seu aniversário ela decide embarcar na brincadeira. Apenas para receber um recado de sangue. 

Parecia uma simples piada de mau gosto... até que todos os presentes com exceção de Mara morrem no desabamento de um velho sanatório abandonado. 

O que o grupo estaria fazendo em um prédio condenado? 

A resposta parece estar perdida na mente perturbada de Mara. 

Mas depois de sobreviver à traumática experiência é natural que a menina se proteja com uma amnésia seletiva. Afinal, ela perdeu a melhor amiga, o namorado e a irmã do rapaz. 

Para ajudá-la a superar o trauma a família decide mudar para uma nova cidade, um novo começo. 
Todos estão empenhados em esquecer. E Mara só quer lembrar. 

Ainda mais com as alucinações - ou seriam premonições? - Os corpos e o véu entre realidade, pesadelo e sanidade se esgarçando dia a dia. 

Ela precisa entender o que houve para ter uma chance de impedir a loucura de tomá-la.... 



Ultimamente ando elogiando demais a Galera Record e quando eu acho que vou parar... dar uma trégua... e me pego pensando: 'Não podem lançar tantos livros bons assim'... Eu mordo a língua e passo mais uma madrugada com a cara enfiada num livro deles e sem conseguir largar o danado!!

Eu me apaixonei pela capa deste livro e quando a editora o disponibilizou, não pensei duas vezes em pedi-lo. Mas o nome era estranho e eu não tinha lido a sinopse...

Demorei uma semana para pegar e quando comecei... não deu para parar...

Primeiramente quero logo te dizer que ele não é um romance. Ele é um suspense maravilhoso daqueles que te fazem parar de respirar em certos parágrafos e em quase todos os finais de capítulo você sente um frio na barriga.

A autora Michelle Hodkin é uma danada. 

Sabe por quê? 

Porque ela usa uma técnica de escrita chamada cliffhanger para terminar seus capítulos.

Não sabe o que isso significa? Então lá vai!! 

"Cliffhanger, na tradução literal para a língua portuguesa “à beira do precipício”, ou “à beira do abismo”, é um recurso de roteiro utilizado em ficção, que se caracteriza pela exposição do personagem a uma situação limite, precária, tal como um dilema ou o confronto com uma revelação surpreendente. Geralmente, o cliffhanger é utilizado para prender a atenção da audiência e, em casos de séries ou seriados, fazê-la retornar ao filme, na expectativa de testemunhar a conclusão dos acontecimentos." via Wikipédia.

Pois é... entenderam como cada capítulo termina?? Haja coração minha gente...

Então, apesar de ser um suspense ótimo "A Desconstrução de Mara Dyer' também tem romance e uma pitada bem dosada de terror.

E ele tem também elementos que a gente já conhece e ama de paixão: 

·         uma adolescente desajustada, mas de personalidade forte;
·         um carinha lindo com um corte de cabelo rebelde que usa uma calça jeans deliciosa;
·         uma família gracinha que enfrenta mundos e fundos para serem felizes;
·         um melhor amigo gay que faz a mocinha se sentir bem nas horas infelizes;
·         uma escola que é o palco para coisas estranhas acontecerem
·         irmãos fofos e gentis;
·         aquela garota vaca que persegue os fracos e oprimidos... 

Afff... e isso AINDA NÃO É TUDO!!

A trama é original e juro pra vocês que o final me deixou maluca de ansiedade já que eu não percebi em momento nenhum o rumo que autora daria para história!!

Rachaduras apareceram nas paredes da sala de aula conforme umas vinte cabeças se voltaram na minha direção. As fissuras dispararam para cima, cada vez mais altas, até que o teto começou a desabar. Minha garganta ficou seca. Ninguém disse nada, muito embora a sala estivesse coberta de poeira, muito embora eu achasse que fosse sufocar.Porque não estava acontecendo com mais ninguém. Só comigo. 

Sabe aquele medinho que muitos suspenses trazem? Eu senti... e olha que sou durona pra essas coisas, mas a o enredo é muito bem trabalhado e mescla cenas hilárias e bizarras, românticas e sarcásticas, obscuras e fofas...

Não iria admitir que pensei ter visto a sala de aula desabar assim que entrei nela. Ou que meus amigos mortos tinham reaparecido, cortesia do meu transtorno de estresse pós-traumático. Desde que havíamos nos mudado, eu estava livre dos sintomas. Fui ao enterro dos meus amigos. Empacotei meu quarto. Andei com meus irmãos. Fiz tudo o que deveria fazer para evitar ser o projeto de minha mãe. E o que aconteceu naquele dia não valia nem remotamente o que me custaria contar a ela. 

O casal Mara e Noah vai te conquistar e a história deixa aquele gostinho de quero mais a cada capítulo lido... falando nisso... como os capítulos são curtos você vai lendo sem sentir e quando percebe que o fim está chegando fica querendo pausar a leitura para ver se dura mais...

Não perca tempo!!

Mergulhe nesta história!!


Compre já o seu exemplar!


28 de outubro de 2013

Sessão Pipoca: Gravidade








Título original:  Gravity
Título no Brasil: Gravidade

Direção: 
Alfonso Cuarón
Elenco: Sandra Bullock , George Clooney, Ed Harris
País: Reino Unido/EUA
Idioma: Inglês
Ano de Lançamento: 2013




Sabem aqueles sábados em família que você se prepara  para assistir a um filme que todos estão falando super bem e a atriz que você ama está cotada para ganhar o Oscar? Então o que poderia sair errado quando você vai ao cinema com seus pais, sua tia e o namorado ver atores maravilhosos como Sandra Bullock e o divo George Clooney?

Bom, eu lhes digo: tudo! O filme que conta a história da doutora Ryan Stone (Bullock) que vai ao ar consertar um telescópio com o astronauta Matt (Clooney) e que no meio de uma chuva de destroços ficam presos no espaço sideral é no mínimo tenso.

Primeiro porque claro que me lembrou Naufrago  o filme em que o ator Tom Hanks ficava preso em uma ilha e tinha que sobreviver com os poucos recursos que tinha.

"Gravidade" é um Naufrago no espaço, não acho que seja certo velo como ficção científica mas sim como um drama, pois a partir do momento que ambos não conseguem voltar para a nave da NASA sofremos junto com eles cada segundo.

A atuação de Bullock pode estar ótima mas o roteiro não ajuda muito, mesmo com 1h 30 min de filme a gente olha o relógio, boceja e aquele 3 D do filme irrita mais do que qualquer outra coisa.

Por mais que o filme queira passar uma ideia de como é o espaço e tudo que os astronautas passam, não conseguimos ver isso tão facilmente assim, pois as tensões que a personagem vive são terríveis.
Não consegui gostar de nada, nem a presença de Clooney salva esse filme.

Até a próxima,

Raffa Fustagno

27 de outubro de 2013

Apple News: é lançamento que não acaba mais!

Bom dia Envenenados!
Que saudade de fazer esse post... preparados!? 
Peguem o bloquinho e a caneta porque é novidade que não acaba mais.


Vamos começar por uma novidade que vai fechar outubro com chave a editora Harlequin junto com a Saraiva está disponibilizando GRATUITAMENTE, isso mesmo vocês não leram errado, o livro Provocante da série Flor da Pele.

Existe limite para a sensualidade?
Isabella Natale leva uma vida dupla. De dia ela trabalha na confeitaria de sua família. De noite, se transforma em Rosa Escarlate, a dançarina exótica mais sensual de Chicago, uma sereia que deixa os homens enlouquecidos com sua máscara de veludo e calcinha fio-dental. Ninguém conhece seu segredo tampouco sua verdadeira identidade, nem mesmo Nick Santori, o novo segurança do clube… e a primeira paixão da vida de Isabella. Ele sempre viu a pequena Izzy como uma criança. Mas não há nada de infantil em sua reação a Rosa… Então, o que resta a ela fazer senão mostrar ao homem de seus sonhos que olhá-la é bom, porém tocá-la é melhor ainda…
Demais né!? Para baixar o livro basta clicar AQUI e seguir o procedimento de compra normal da Saraiva, mas ATENÇÃO essa promoção é por tempo limitado.

Quem estava com saudade da Lauren Kate levanta a mão! \o/
A Record na última semana soltou a capa e o primeiro capítulo de Teardrop - Lágrima, que vai contar a estória de Eureka uma menina marcada pela morte da mãe. Mas tudo se transforma quando encontra Ander. Louro, alto e de pele muito branca, o misterioso garoto parece conhecer tudo sobre ela, até coisas que não deveria saber, inclusive que em pouco tempo a menina terá reais motivos para chorar. Mas há um sombrio segredo que ainda será revelado: a história de uma menina que teve o coração partido e, de tanto chorar, deixou debaixo d’água um continente inteiro.

O primeiro capítulo:


O lançamento está previsto para 04/11









          





Uffa e ai conseguiram anotar as preferencias?! Quais são!? E fiquem de olho logo logo faremos mais um post de novidade.

Beijinhos,
Bom Domingo.

24 de outubro de 2013

Quando uma garota entra em um bar pela @Novo_Conceito


Quando uma garota entra em um bar

Autor
: Helena S. Paige 

Editora: Novo Conceito
Categoria: Literatura Estrangeira
Páginas: 220
Lançamento: 2013

saraivatravessa




Sinopse:

Então você se arrumou toda para uma noite de amigas, daquelas onde só as mulheres participam, mas suas amigas mudaram de planos sem avisar e, agora, você está sozinha em um bar superbacana, arrumada e perfumada, e sem saber bem para onde ir. O que você faz? Aproveita que já está por ali, pede uma tequila e dá uma boa olhada no yuppie que está na mesa ao lado? Ou pede uma cerveja e vai pra perto do palco arrebatar o baterista? Pode ser que você prefira uma paquera com o rapaz de botas de bico fino e músculos trabalhados que está encostado à parede. Ou, quem sabe, tomar um café com o bombeiro que está cuidando da segurança dos clientes e que, neste instante, está verificando o funcionamento do extintor. E isso tudo só pra começar! A escolha é sua — e você tem um mundo de possibilidades nesta noite que parecia começar mal! Só não espere que esta experiência seja como outra qualquer, porque esta noite ficará definitivamente marcada em sua memória de erotismo e paixão. Divirta-se com esta definitiva experiência sensual onde você, e só você, terá o controle de seu próprio prazer! 


O livro começa com uma interlocutora que escreve diretamente à leitora, contando de forma geral o que "você" está fazendo e quais são suas opções de vestimenta para que você fique maravilhosa para encontrar sua amiga em um bar badalado.

São três opções, dependendo qual é a escolha você é direcionada à uma página e assim a história começa a rolar. Em cada capítulo é apresentado o ambiente e novamente três opções são dadas para que sua noite continue.

A proposta é super interessante, uma chamada convidativa e com uma capa de prender a atenção; Quando uma garota entra em um bar tinha tudo para ser uma leitura rápida e divertida... mas ficou faltando a segunda parte.

As autoras, sim é um livro escrito por três amigas, não souberam distribuir bem o estória e quando você escolhe uma alternativa que não seja a mais ousada você tem que voltar e escolher a que dá abertura para a continuação...

É a primeira vez que li um livro nesse formato, e como já disse anteriormente a proposta é boa, mas ficou faltando uma dinâmica maior, acredito que se o livro estivesse em terceira pessoa e com um leque de possibilidades maior teria dado certo.

Ficou intrigada com o livro?!

 Leia um trecho do livro saber se vai gostar ou não!?

Por sua conta e risco!! ha ha ha ha ha

Boa sorte!!



Até a próxima,

23 de outubro de 2013

Resenha: Easy da @TammaraWebber pela @verus_editora


Easy

Autor
: Tammara Webber
Editora: Verus
Categoria: Literatura Estrangeira
Páginas: 305
Lançamento: 2013

saraivasubmarinotravessa



Sinopse:


Quando Jacqueline segue o namorado de longa data para a faculdade que ele escolheu, a última coisa que ela espera é levar um fora no segundo ano. Depois de duas semanas em estado de choque, ela acorda para sua nova realidade - ela está solteira, frequentando uma universidade que nunca quis, ignorada por seu antigo círculo de amigos e, pela primeira vez na vida, quase repetindo em uma matéria.

Ao sair de uma festa sozinha, Jacqueline é atacada por um colega de seu ex. Salva por um cara lindo e misterioso que parece estar no lugar certo na hora certa, ela só quer esquecer aquela noite - mas Lucas, o cara que a ajudou, agora parece estar em todos os lugares.

A atração entre eles é intensa. No entanto, os segredos que Lucas esconde ameaçam separá-los.

Mas eles vão ter de descobrir que somente juntos podem lutar contra a dor e a culpa, enfrentar a verdade - e encontrar o poder inesperado do amor.

Easy é uma leitura indispensável para quem gostou de Belo desastre, de Jamie McGuire. Sexy e absolutamente cativante, este é um livro imperdível! 



Na nova moda do mercado editorial estão os new adults, gênero que vem para cobrir o espaço deixado para os leitores na média dos vinte anos que não se identificam mais com os young adults (jovens adultos) e nem com os livros mais adultos. Com protagonistas que tem geralmente essa faixa etária e temas que abordam questões mais conflitantes, já conquistou seu espaço. O primeiro livro do gênero que chegou ao Brasil foi Belo Desastre, em 2012, pela mesma editora Verus. Sucesso absoluto que abriu as portas para vários outros títulos. 

Easy foi escrito por Tamara Webber. Nunca tinha lido nada da autora mas ela me conquistou já nesse livro. 
Na história, Jacqueline é abandonada pelo namorado depois de segui-lo para a universidade que ele escolheu apenas para ficar com ele. Tentando se recuperar do término, ela quase é violentada pelo "amigo" do ex na saída de uma festa. Quase, pois um lindo salvador aparece para evitar a tragédia. Seu nome é Lucas, e depois desse fato, Jacqueline passa a encontrá-lo em quase todos os lugares que ela frequenta. Ele é lindo e misterioso, e pode ser a opção para ela sair da fossa e se divertir. Mas Lucas também tem seus próprios problemas e eles ficarão entre os dois. 

Óbvio que Lucas é incrível. Honestamente, eu não estaria me dando ao trabalho de resenhar esse livro se não tivesse um cara lindo, sexy, misterioso, tatuado, com ar de badboy e com um coração imenso. Faz parte do show, e de certa forma, faz parte dos livros do gênero ter um protagonista masculino que seja arrebatador. Seus demônios internos, na realidade, são parte do motivo para ele ser protetor. Mas aí vem seu diferencial: apesar dele ter o instinto de proteção, ele também quer possibilitar que Jacqueline se proteja sozinha. 

Entretanto, apesar da relação entre os dois ser quente e cativar o leitor, outras questões são abordadas no livro e chamam a atenção. Logo no início temos a tentativa de estupro que Jacqueline sofre por um conhecido, e a ameaça que ele faz dizendo que ninguém vai acreditar nela, faz com que ela não denuncie o rapaz. Por medo, para não se expor, por achar que os amigos não acreditarão mesmo... Por inúmeras razões. Mas lá na frente, essa decisão terá consequências. E a reflexão que podemos fazer em torno disso é bastante rica. Há também a questão do drama pessoal de Lucas, que gera outra avalanche de pensamentos. Bem diferente.  

Para mim, é claro que o mais rico da história criada por Tamara são as questões que ela aborda, de forma sensível e objetiva, e que levam o leitor à reflexão. Isso de forma alguma desmerece o romance ou o diminui, apenas torna-o mais consistente.  

Easy é um livro mais que recomendado. A estória é sexy, é engraçada, sensível, conflituosa, e com aquele romance que nos faz suspirar pelos cantos. Tammara Webber conquistou meu coração para sempre com seu badboy Lucas, tenham certeza. 









Beijinhos até a próxima,







Ou receba as atualizações no seu email:

Delivered by FeedBurner

Posts Recentes

Últimos Comentários

As envenenadas pela maçã Ѽ by TwilightGirls RJ Ѽ - Copyright © 2012 - Todos os Direitos Reservados