31 de maio de 2013

Sexta Envenenada: O Prazer mais Sombrio

“Crying in the rain
I'll never let you see
The way my broken heart is hurting me
I've got my pride and I know how to hide
All my sorrow and pain
I'll do my crying in the rain
Nunca deixarei você ver
O quanto meu coração partido está me machucando
Tenho meu orgulho e seu como esconder
Toda minha tristeza e sofrimento.
Chorarei na chuva.
If I wait for stormy skies
You won't know the rain from the tears in my eyes
You'll never know that I still love you so
Only heartaches remain
I'll do my crying in the rain
Se eu esperar céus tempestuosos
Você jamais vai diferenciar se é chuva ou se são lágrimas em meus olhos
Você jamais saberá o quanto ainda te amo
E apenas as mágoas permanecerão
Estarei chorando na chuva
Raindrops falling from heaven
Could never take away my misery
Since we're not together
I pray for stormy weather
To hide these tears I hope you'll never see
Pingos de chuva caindo do céu
Não poderia apagar minha dor
Uma vez que não estamos mais juntos
Eu rezo por tempestades para esconder estas lágrimas
Que espero que você nunca veja...
A-Ha
Olá, Envenenados!

Estamos de volta com mais uma Sexta Envenenada, neste dia 31 de maio, último dia para participar da Promoção Fallen Angels – Inveja.
Mas dia também de trazer mais um absinto e poder revelar um pouco de suas características, um pouco de sua história.
Muitos não fazem ideia de como isso não é uma tarefa fácil. Depois que o texto está pronto, dá a impressão de que o que escrevo flui rapidamente. Mas não, não é bem assim.
Cada personagem que é apresentado aqui tem um papel especial, não apenas no texto do qual tem origem, mas também porque ganha minha admiração, meu respeito. Sendo homem ou mulher, os absintos apresentados aqui tornam-se inesquecíveis de alguma maneira.
São homens e mulheres com personalidades marcantes, que dão um toque especial, que me chama a atenção por atitudes, por me cativarem.
Depois que comecei a acompanhar a série da Irmandade da Adaga Negra, ficava ansiosa para que saíssem os próximos volumes, louca para conferir a história dos demais guerreiros. Enquanto aguardava, comecei a procurar outros textos como compensação. Tentando fugir das séries.
Mas caí nas graças de outra série, esta editada pela Harlequin Books. É uma série de livros sobrenaturais também, com guerreiros poderosos também, que combatem inimigos mortais também... mas que me atraiu por uma característica diferente: havia um toque de mitologia grega, então caí dentro.
Estou falando dos Senhores do Mundo Subterrâneo. Não vou falar o que penso sobre a série, até porque não é a primeira vez que falo sobre ela aqui. Mas, antes que me questionem futuramente, não falarei de todos os guerreiros, pois nem todos me apeteceram e, vamos combinar, alguns pares românticos são tão chatos e insuportáveis que ofuscam a força de alguns desses machos.
Já apresentei aqui Maddox - A Noite mais Sombria (http://asenvenenadaspelamaca.blogspot.com.br/2013/01/sexta-envenenada-noite-mais-sombria.html! e Lucien - O Beijo mais Sombrio (http://asenvenenadaspelamaca.blogspot.com.br/2013/04/sexta-envenenada-o-beijo-mais-sombrio.html), respectivamente protagonistas dos dois primeiros romances dessa série, escrita por Gena Showalter. E hoje falarei sobre Reyes que, como seus companheiros, carrega a maldição dos deuses por ter violado a Caixa de Pandora, libertando os demônios que ela abrigava.
Reyes, um dos meus guerreiros prediletos, é guardião do Demônio da Dor, sendo privado de qualquer outro tipo de prazer há milhares de anos. Condenado a uma eternidade de sofrimentos físicos por ter, juntos com seus companheiros, violado a dimOuniak, caixa criada pelos deuses para abrigar todos os males do mundo, enfrentando Pandora, a guerreira escolhida para protegê-la. Ofendidos por terem sido preteridos em favor de uma mulher, 12 guerreiros decidem provar sua capacidade, mas acabam assassinando Pandora e, pior, libertam todos esses espíritos malignos pelo mundo.
Como castigo, cada um deles carregaria um desses espíritos, e Reyes recebeu Dor.
No princípio, Reyes, totalmente incapaz de controlar seu demônio, inflige danos inenarráveis aos mortais. Mas, com o passar dos milênios, assim como seus companheiros, aprende a dominar o mal que carrega. Na tentativa de evitar causar mais danos do que já vinha causando à humanidade, Reyes inflige a si mesmo a dor – este é o preço a se pagar, já que o homem que ainda existe nele não aceita mais praticar tantas atrocidades.
Na atualidade, ele vive em uma fortaleza em Budapeste com alguns dos guerreiros do grupo inicial, procurando manter-se o mais distante possível dos mortais, sempre atento às ações de seus inimigos, os Caçadores.
Mas seu tormento físico não será páreo para os sentimentos que despertam quando ele conhece Danika Ford. Paralelamente, ele terá de enfrentar seu melhor amigo, Aeron – Guardião da Ira – que recebe a estranha incumbência de assassinar Danika e sua família.
Nenhum dos guerreiros entende essa ordem, vinda diretamente de Cronos, que recentemente tomara o poder para si.
Mas Reyes fará de tudo para proteger Danika, que havia sido sequestrada junto com sua irmã, mãe e avó, pelos Senhores do Mundo Subterrâneo no primeiro livro.
Até então ele jamais havia conhecido esse desejo, até então somente dor física era o que lhe trazia prazer: não era raro estar se mutilando enquanto se alimentava, enquanto conversava com seus amigos. Mas agora, ele começava a querer algo diferente, só que este algo era impossível.
Como estar com Danika sem lhe causar dor? Ele precisava estar alerta, no controle de suas ações.
“Esta era uma das razões pelas quais Reyes mandara Danika embora e uma das poucas razões pelas quais não deveria estar lá para resgatá-la. Ela o provocava, a ele e ao demônio, como quem atiça um animal faminto e enjaulado batendo na grade com um graveto.
Se ele deixasse o demônio à vontade, perderia o controle de suas ações. E se ele ferisse Danika? E se sentisse prazer em machucá-la? Será que ele iria triturar todos os ossos dela com um sorriso no rosto? E se ele a matasse, fazendo exatamente aquilo que queria impedir o amigo de fazer ao aprisioná-lo?”
Esse temor – de causar dano, de fazer algo terrível à única mulher que realmente desejara – deveria mantê-lo distante. Certo?
Infelizmente não.
Por sua vez, Danika agora está em constante fuga para manter-se viva. Toda sua vida se transforma depois de uma viagem a Budapeste com sua família para homenagear seu falecido avô. Lá ela conhece os Senhores do Mundo Subterrâneos, pesadelos em forma de homens. E passa a temê-los e a odiá-los, a todos, menos Reyes, que estranhamente a protege, mesmo em seus pesadelos mais terríveis.
“Ele, com quem ela sempre sonhava. Acordada, dormindo, não importava. Ele estava sempre em sua mente, como se lá morasse. Às vezes até espantava as criaturas que habitavam seus pesadelos. Ele as atacava, eles lutavam violentamente e corriam rios de sangue. E depois ele sempre procurava Danika, ferido e cheio de dor. Sem pensar duas vezes, ela tomava-o nos braços. Ele a beijava por inteiro, lentamente, bem lentamente, passando a língua nas partes planas e nas concavidades de seu corpo, lambendo cada vez de um jeito único.”
O que me encanta em Reyes é justamente essa capacidade de forçar-se a manter-se distante da mulher que ama para mantê-la a salvo de si mesmo. Adoro histórias de amores impossíveis. Ele é um bruto, um imortal possuído por um mal inominável, mas que tem sua natureza humana despertada pelo amor por uma mortal. Luta contra seus instintos mais primitivos, pinçando uma pequena fração de algo bom dentro de si.
“Eu ajudei a destruir sua inocência, e nem precisei tocá-la para isso. Que vergonha!
Reyes apoiou o ombro contra o armário.
─ Não fique tão chateada consigo mesma.Talvez você não tenha tido coragem de atacar um homem inconsciente. É uma atitude honrada.
─ Sim, mas você não é um homem.
Não era mesmo. Ele era um demônio, e achava doloroso Lembrar-se disso. Era o bastante para fazê-lo dizer as palavras seguintes.
─ Estou acordado. Tente agora.
─ Vá se ferrar – rebateu ela.
─ Tente.
­ ─ Vá para o inferno.
─ Tente, Danika. Prove a si mesma que pode me derrotar.
Ela o fuzilou com os olhos, raios idênticos que atravessavam a pele e os ossos.
Samuel Trepanier
─ Para você ter a oportunidade de me ferir? Não, obrigada.
─ Não vou me mexer. Juro.
Ela estalou a língua no céu da boca.
─ Você quer que eu o ataque?
Ela parecia não estar acreditando, mas ele percebeu que era exatamente isso que o estimulava. Ele queria que ela pulasse da cama e o atacasse. Ele queria as unhas dela cravadas em sua pele, os dentes afundados em seu pescoço de novo. Ele queria sentir dor. Causada por ela. Só por ela. Ele queria prazer, do único jeito que poderia conseguir. Apesar de saber bem o que isso significava. Ela já havia mesmo perdido a inocência. Que mal poderia haver em levar as coisas um pouco mais adiante?
─ Se não vai me atacar, então me beije – disse ele, já tremendo de tanto desejo. Se não conseguisse sentir a dor que tanto desejava, teria que dar outro jeito. Sentir o gosto dela. Ele duvidava que aquilo fosse satisfazê-lo, mas não se importava.
Ela arfou, mas ele não sabia se era de horror... ou de ansiedade. Então Reyes viu que ela estava com os mamilos intumescidos e entendeu. Era de ansiedade.
Ele sentiu um aperto no peito como se estivessem pressionando barras de ferro sobre ele.
─ Beije-me – disse, falando tão baixo, com tanto desejo, que ele mal ouviu as próprias palavras.
...
Tranquilo, ele percebeu que caminhava na direção dela.
Ela se levantou de um pulo, com pânico nos olhos.
─ Por que está fazendo isso?
Ele parou no meio do quarto para se orientar. Seu peito começara a doer de novo, Dor estava absorvendo tudo, saboreando cada pontada.
─ Preciso saber.
─ O quê? O que você precisa saber?
─ Como é o seu gosto. – Outro passo.
E o que acontece quando você souber? – perguntou ela, irritada.
Samuel Trepanier
Eu paro de ficar imaginando. Paro de sonhar com você todas as noites, paro de pensar em você o dia inteiro. – Outro passo mais para perto. – Acho que você também fica pensando em mim. Acho que você sonha comigo. E você fica com raiva de si mesma por isso. Você me odeia por isso, mas não consegue parar.
Ela balançou a cabeça, seus cabelos iluminados flertando com os ombros, acariciando o pescoço esguio. Ele queria que fosse ele a tocá-la, a excitá-la. Ele queria lhe dar prazer, mesmo que ele próprio não sentisse prazer algum. [...]”
O que sente é um amor dolorido, talvez mais que as dores que lhe causam tanto prazer. Mas fiquem certos de uma coisa, não se trata de uma história que envolve sadomasoquismo, fetiches sexuais bizarros. Não. Trata-se de uma situação que o coloca no limite entre a lealdade com seus pares e o amor pela única mulher capaz de salvá-lo.
Por outro lado, Danika também terá um paradoxo a encarar, pois está entre a forte paixão que sente por um homem que pode ser a sua ruína e o desejo de vingar sua família.
“Danika emaranhou os dedos nos cabelos sedosos de Reyes e apertou forte, arranhando seu couro cabeludo. A língua dele estava quente, com gosto de homem apaixonado. O corpo duro sobre o dela. [...]”
Sabe o que é isso? Uma paixão que tem gosto? Que tem cheiro e temperatura? Tesão puro sangue! Estou apaixonada por essa paixão de Reyes e Danika.
Reyes me conquistou, por sua história, por sua vida atormentada, pela forma com que luta para manter seus amigos a salvo e como a dor de sua alma ameniza a necessidade da dor física.
Ele me cativou também por se apaixonar por uma mulher forte, guerreira a seu modo, sem “não-me-toques”. Danika também mostrará uma força surpreendente nessa história. Apesar de correr sério risco de morte, não será a mocinha indefesa em O Prazer mais Sombrio. Prazer sombriamente quente, intenso, palpitante e incerto!
Fico por aqui, aproveitando um recesso danado de bom, nesta Sexta chuvosa e que pede uma leitura bastante apropriada, cheia de vontades sombrias – agora quero um Reyes para chamar de meu!
Fiquem bem e Carpe Diem!


Em tempo: achei interessante por o vídeo da música que citei aqui. É simplesmente linda!

18 comentários:

  1. Imagino sim, que cada personagem que você mostra por aqui, todas as sextas, seja inesquecível para você, dá pra perceber qua são sempre personagens fortes e inspiradores.
    Nossa! Que legal, não conhecia essa série da Harlequin e, assim como você, me chamou a atenção por ser um sobrenatural com mitologia grega! Muito bom! Acho que nunca vi essa mistura de temáticas.
    Gostei dos personagens aqui apresentados, principalmente de Reyes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Mah!
      A série tem algumas pinceladas de IAN, mas tem personalidade própria. Gosto muito dos guerreiros e me identifico com alguns. Há outros dois posts A Noite mais Sombria e (http://asenvenenadaspelamaca.blogspot.com.br/2013/01/sexta-envenenada-noite-mais-sombria.html) e o Beijo mais Sombrio, que contam um pouco mais sobre esses guerreiros!
      Que bom que você gostou!
      Beijos

      Excluir
  2. Vou ser sincera, não entendi nada o que está escrito lá em cima, pois não sei ler em inglês. Não conhecia essa coluna, mas achei bem legal. Quanto ao livro eu não conhecia, mas me interessei igual a você por ter Mitologia Grega que eu gosto muito. Agora fiquei quereno ler essa serie, pois só lendo o que você escreveu já quero um Reyes pra mim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Sil!
      Coloquei umas estrofes traduzidas pra ti, desculpe, deveria ter feito isso antes. É uma música do A-Ha, grupo dos anos 80, mas é linda demais e me veio à mente enquanto escrevia a coluna!, se quiser dá uma conferida nos outros dois posts sobre a série: A Noite mais Sombria e (http://asenvenenadaspelamaca.blogspot.com.br/2013/01/sexta-envenenada-noite-mais-sombria.html) e o Beijo mais Sombrio, que contam um pouco mais sobre esses guerreiros!
      Que bom que você gostou!
      Beijos

      Excluir
    2. Muito obrigada hehehehehhe. Vou conferir os post sim

      Excluir
  3. Aaahhh. Não sei se gostei ou não.
    Acho que a mitologia grega pra mim já está meio ligada ao Percy Jackson, do qual sou muito fã.
    E também não posso me ligar a mais uma série né? Já tem taaantas, ai fica muito dificil acompanhar todas. Vou deixar o nome desta num cantinho, porque pode ser que daqui um tempo eu necessite dela! :) hehe

    ResponderExcluir
  4. Eu já ouvi muita coisa boa sobre essa série só que ainda não li nenhum dos livros. Nesse estilo, até agora só li os livros da Irmandade, mas sempre cabe mais uns sombrios, não é? E "tudo isso" e ainda mais mais mitologia grega ... tem tudo para ser uma excelente série.

    ResponderExcluir
  5. onde arrumo o meu?!!! Depois dessa deu uma animada e tanto pra ler, parece ser bem bom! Nem conhecia e agora fiquei querendo saber mais desses livros.

    ResponderExcluir
  6. Adoro essa série, mas com certeza esse casal é o meu favorito. A paixão de Reyes e Danika conquista porque ambos são personagens fortes, que lutam em meio a tantas adversidades que é impossível não se envolver com eles. O lance do Demônio da Dor foi algo muito bem construído pela autora. Uma das cenas que mais gosto nesse livro é quando ela some e ele não precisa se machucar, porque a dor que ele sente é tão profunda que não precisa de artifícios externos. Estou muito feliz porque a Harlequin resolveu continuar a publicar os livros, então, aguardemos os próximos... BJS!

    ResponderExcluir
  7. Quando li o primeiro livro dessa série me apaixonei, foi uma surpresa porque não o conhecia e quando não teve o que eu queria optei por esse que tinha uma premissa bem interessante. A noite mais sombria me fez ficar noites suspirando, mas O beijo mais sombrio não foi assim tão legal Maddox com sua amada grávida me deixou bem decepcionada. Enfim! O prazer mais sombrio eu não terminei de ler, por isso nem vi o desabrochar de Reyes até onde vi ele ainda não estava com ela. Fiquei muito curiosa agora, e até me lembrei do Ira que estava descontrolado, e do Luxúria com a moça que ele tinha encontrado. Me deu uma vontade de ler os outros livros da série!!

    Abraços,
    Raquel.

    ResponderExcluir
  8. Hummmmm.... Será mais uma série para sua amiga aqui devorar!? \o/

    ResponderExcluir
  9. Eu adoro mitologia Grega e adoro essa coluna, não conhecia a série, mas me pareceu bem interessante!

    ResponderExcluir
  10. Primeira vez que leio essa coluna. O personagem é bem interessante, mas não é o tipo de livro que me chama a atenção não.. Não conhecia a série e nunca li nada parecido. Muita gente gosta né?!
    Se um dia um livro desse cair nas minhas mãos, eu leio pra ver.
    Bjo

    ResponderExcluir
  11. Serio que esse livro tem mitologia grega, porque eu conhecia a serie mas não me lembro ter alguma coisa a ver com mitologia grega O.o Vou procurar achar o primeiro livro pra ler. Ótima coluna.

    ResponderExcluir
  12. Nhaaa ainda não consegui comprar um livro sequer dessa série que sempre está tão cara poxa!!! Se pelo menos ficar uns 20 reais quem sabe?

    miquilis: Bruna Costenaro

    ResponderExcluir
  13. Gosto muito dos seus posts, principalmente dos quotes que você escolhe. Sempre tive vontade de ler essa série, só não comecei até hoje por que os livros não são baratos e por que eu já acompanho muitas séries.
    Mesmo assim não tenho dúvidas de que, se um dia encontrar esses livros em promoção, vou acabar comprando. O Reyes parece ser tudo de bom! Mesmo com tantas dificuldades e com o demônio que carrega consigo, ele ainda se preocupa com a mulher que deseja e tenta protegê-la de si mesmo. O legal é que a mocinha também é uma mulher forte, que pode fazê-lo feliz (pelo menos é o que eu espero que ela faça!).
    Realmente, as fotos que você escolheu e os quotes do livro deixaram claro para mim a tensão entre os dois. Fiquei com muita vontade de ler esse livro, mesmo sem ter lido os anteriores, para acompanhar esse romance repleto de complicações.
    Ah, não posso esquecer de dizer que curti a música! Foi muito bom ler o post ouvindo essa canção. :)

    ResponderExcluir
  14. Ah, eu quero um Reyes para chamar de meu também!
    Poxa eu não conhecia essa série da Harlequin. Achei a capa tão linda! E esses trechos do livro mexeram comigo por completo. Cada palavra, cada desejo e sentimento. Ah, esses posts da sexta envenenada realmente mexem comigo demais. Fiquei tentada! Tentada a ler os livros dessa série! :)
    Beijos.

    ResponderExcluir
  15. Sou apaixonada por esta série que conheci pelo volume 2, depois disso foi um correira atrás dos outros livros e cada vez mais os guerreiros me conquistam.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir

Destile seu veneno, comente!

Ou receba as atualizações no seu email:

Delivered by FeedBurner

Posts Recentes

Últimos Comentários

As envenenadas pela maçã Ѽ by TwilightGirls RJ Ѽ - Copyright © 2012 - Todos os Direitos Reservados