26 de abril de 2012

Playlist Envenenada – Boyce Avenue

Oi, gentem!!!

Estou aqui hoje pra falar de uma coisa que eu amo de paixão: Música! Vivo à caça de novidades. Mas não essas coisas horrendas que ouvimos por aí. Sinto muito por quem gosta... Opinião é igual a... nariz! Cada um tem o seu! Mas meu ouvido não é penico para ouvir “assim você me mata”& cia. Na boa, NÃO DÁ!

Me acho até bem eclética e bem tolerante em relação a alguns gêneros musicais e até mesmo artistas. De repente vocês nem vão achar isso... Porque eu realmente seleciono minha playlist. Não adianta, não ouço funk, pagode e nem axé. De jeito nenhum! Música sertaneja e forró, depende muito.

É claro que eu não vou chegar aqui e entupir vocês de punk rock ou de folk, que são dois gêneros que eu adoro. Vou trazer músicas que possam agradar a maioria dos ouvidos e cabeças!

Com esse propósito, vou apresentar a vocês uma banda muuuuuitoooo luxo e que, na minha modesta opinião, TODO MUNDO VAI AMAR. Se é que já não ama, neam?

Ladies and gentlemen,

BOYCE AVENUE

Formada no ano de 2000 por três irmãos da Florida (mas que são porto-riquenhos, da cidade de El Penderro), Alejandro (vocal, guitarra, piano), Fabian (guitarra e vocal) e Daniel Manzano (baixo, percussão, vocal), a banda de pop rock Boyce Avenue é um “Emerson Nogueira” ou uma “Danni Carlos” dos States.

clip_image001

Alejandro, então com 14 anos e Daniel, com 16 anos começaram a se aventurar na guitarra... Eis que, três meses depois, uniram-se ao outro irmão, Fabian (que tinha 20 na época) e subiram ao palco e, pasmem, fizeram um show pra 350 pessoas em uma escola!!! Tão novinhos... mas com talento proporcional a suas idades! Daí para frente não pararam de tocar!

Em Fevereiro de 2009 iniciaram sua primeira turnê internacional. Foi nas Filipinas. o.O Porque não no Brasil??? E em Setembro e Outubro de 2009, o destino da banda foi a Europa.

Eles tocavam covers de músicas muito famosas como: Firework da Kathy Perry, Iris do Goo Goo Dolls, Just the way you are do Bruno Mars, Only girl da Rihanna e muuuitas outras... Conheci a banda há alguns anos futucando o youtube e ouvi essa música:

 

Resultado: ME APAIXONEI!!! Que voz é essa??? No pezinho do ouvido... Humm. Saí baixando tudo de Boyce Avenue!!!

clip_image002

Os arranjos das músicas são feitos por eles mesmos e ficam MARAVILHOSOS!!!! Muitas vezes eles incluem violino, cajón (instrumento de percussão que parece uma caixa retangular e tem um furo no meio para propagar o som – dá um toque especial à música!) e algumas músicas também são executadas ao som do piano de Alejandro, o mais novinho da tchurma. Algumas têm participações especiais de outros cantores. Eles imprimem sua marca, mesmo que a música pertença a outro cantor. Por exemplo, a música Only Girl, da Rihanna. A música é cantada por uma mulher, falando de um homem, certo? Nessa canção ele muda uma pequena parte da letra dizendo que vai fazer ela se sentir a única garota no mundo... Tãoooo leeeendooooo!!!! Confiram:

Esse aqui é o site deles: http://boyceavenue.com/

Tô encantada há três anos e passei a febre pra Fê também! Mostrei essa aqui pra ela:

E eles têm as músicas próprias e estão em turnê mundial! Essa aqui é deles próprios, chama-se “Find me”, e é fofa demaaais:

 

Pra quem quiser saber sobre a discografia:

§ All You're Meant to Be(2008)

§ Acoustic Sessions. - Vol. 1, Vol. 2, Vol. 3 e Vol. 4 (2008)

§ Vol. 5 Singles, Part 1 - EP (2009)

§ Vol. 5 Singles, Part 2 - Single (2009)

§ Influential Sessions (2009)

§ All We Have Left (2010)

§ New Acoustic Session (2011)

Fico torcendo a lot o tempo todo para eles virem aqui, no Rio! Se eles vierem, eu e a Fê estaremos no garagarejo! Hehe.

Vamos levantar a bandeira:

 

WE WANT BOYCE AVENUE IN

BRAZIL!!!!

 

Foi muito difícil escolher quais músicas entrariam neste post! São todas lindas! Espero que vocês ouçam muito e curtam e se juntem à gente na primeira fila!

Beijooo,

Indie.

25 de abril de 2012

Minhas impressões sobre “@mor”, Daniel Glattauer, Editora Suma

Já faz um tempinho que não leio algo que me sensibilize tão  profundamente quanto a história de Leo e Emmi. E eu fiquei muito feliz em ter a oportunidade de lê-lo antes de seu lançamento. Com vocês, o surpreendente livro de Daniel Glattauer:


@mor
Livro: @mor
Páginas: 184
Editora: Suma de Letras
ISBN: 9788581050669
 
 
Sinopse:
“Num e-mail enviado por engano, começa um relacionamento virtual que testa as convicções de Leo Leike e Emmi Rothner. Leo Leike, ainda digerindo o fracasso de seu último relacionamento, responde de forma espirituosa a duas mensagens enviadas por engano por Emmi Rothner, casada. Inicialmente, ela só queria cancelar uma assinatura de revista. Depois, inclui Leo por engano entre os destinatários de um e-mail de boas festas. Na terceira troca de e-mails, o mal-entendido dá lugar à atração mútua, reforçada pelo fato de um nunca ter visto o outro. Nada como a curiosidade instigada por frases bem encadeadas chegando a intervalos regulares numa caixa postal eletrônica para que os dois se esqueçam dos possíveis impedimentos. A cada dia, Leo e Emmi se sentem mais impelidos a marcarem um encontro. Após trocas contínuas de mensagens, está claro para ambos que o marido dela e as feridas emocionais dele não serão obstáculos para que marquem um encontro. O único obstáculo real é a insegurança de ambos quanto à transformação da fantasia em realidade. A expectativa é uma faca de dois gumes e a realidade pode não estar à altura. A tradição dos romances epistolares, compostos exclusivamente de trocas de cartas, é antiga na literatura ocidental. O primeiro livro com estas características, o espanhol Prisão de amor, de Diego de San Pedro, data de 1485. No século 18, o gênero se tornou popular, com clássicos como Ligações perigosas, de Choderlos de Laclos, Clarissa, de Samuel Richardson, e O sofrimento do jovem Werther, de Johann Wolfgang von Goethe. O austríaco Daniel Glattauer dá nova vida à tradição epistolar em @mor, primeiro de dois romances que exploram um relacionamento sustentado basicamente em trocas de e-mails. Romance de estreia de Glattauer e campeão de vendas na Alemanha e na Espanha, o livro explora, sob roupagem moderna, sentimentos familiares a amantes de todas as gerações.”


         
“Se você já encontrou a pessoa perfeita, porque se arriscar conhecê-la?”
A vida tem se tornado tão corrida, são tantas as obrigações, que muitas vezes esquecemos-nos de olhar ao nosso redor. O computador tem sido uma grande válvula de escape em muitos quesitos, inclusive nos que diz respeito aos relacionamentos. Sejam eles de qualquer espécie.
Através de um endereço de email digitado errado, a solicitação do cancelamento da assinatura de uma revista de Emmi foi parar, por engano, na caixa de entrada de Leo. Alguns dias depois, a mesma mulher tornou a mandar novamente uma mensagem, dessa vez com a prerrogativa de envio automático para toda sua lista de emails. E lá estava o email dele.
E depois disso, muitos emails foram trocados...
Sarcasmo, humor inteligente, diversão... No inicio, todos os sentimentos eram controlados em relação ao desconhecido do outro lado da tela do computador. O que era uma brincadeira divertida acabou surpreendendo aos dois. Uma curiosidade avassaladora os apossou, deixando Emmi desesperada para conhecer o rosto ou a voz de seu interessante e ardiloso “amigo”. Há alguns megas de distância estava Leo, tentando convence-la a todo custo de evitar esse encontro, para que a fantasia jamais fosse quebrada.
Com um romance contemporâneo, a cara e a coragem, Daniel Glattauer traz “@mor” e mostra pra todo mundo que o amor, sentimento, poder ser ainda mais complexo do que se possa imaginar.
Vivemos num mundo onde o relacionamento entre Emmi e Leo é mais comum de acontecer do que qualquer outro que se fortaleça na presença de duas pessoas. Eu mesma tenho dois primos que se casaram com mulheres que conheceram na rede. : )
Nenhum dos dois protagonistas haviam ido de encontro ao outro. Ninguém procurava se envolver. Emmi era casada e feliz e Leo estava solteiro. E por um erro (ou acerto do destino) eles se encontraram e então suas vidas viraram de cabeça para baixo. Valores, sonhos, sentimentos foram questionados. Os personagens foram completamente desconstruídos, descaradamente despidos em sua essência e deixados a sorte de emails e mais emails, carregados de emoções, culpas e paixão.
“@mor” a primeira vista (perdoe o trocadilho), é um livro divertido que discorre através da troca de emails entre Emmi e Leo. Eles são sagazes e inteligentes e a leitura é tão prazerosa que você não se dá conta da quantidade de páginas que já leu, até que suas confidências tomam um outro tom, tornando o leitor incapaz de largar o livro até a última página.
Comigo foi bem assim. A convite da Suma das Letras (e da Ju do Livros e Bolinhos!) estivemos em um bate papo muito bacana com a turma da editora. Leia mas sobre esse encontro aqui!
Assista ao book trailer clicando abaixo e imagine tudo que você leu até aqui!
Eu brinquei lá na hora dizendo que chegaria em casa e leria o livro todo, só de ouvi-los comentar sobre ele.
E foi exatamente o que fiz. E não me arrependi! O livro é lindíssimo, emocionante. De uma forma especial, cativante e muito diferente de seus companheiros de gênero literário.
Estamos esperando sua continuação! Promessa é dívida e eu vou cobrar viu Suma!
Beijos!
Fê Madeira

24 de abril de 2012

Encontro com a Suma das Letras

No último dia 14 as Envenenadas foram convidadas pela Ju do Livros e Bolinhos para participar de um encontro de blogueiros muito bacana com a Editora Suma das Letras. E claro que a gente não podia negar um convite tão especial desses! O evento foi realizado na charmosa Livraria Travessa, a queridinha dos leitores descolados no Shopping Leblon, RJ.

Nesse encontro, eles tiraram muitas das nossas dúvidas quanto a escolha de um título, sua concepção... Conversamos  sobre a febre das trilogias de “quatro ou mais livros” rs… Eles nos botaram a par de seus próximos lançamentos e nos presentearam com a primeira tiragem (ainda na 1° revisão!) do maravilhoso livro “@amor”, de Daniel Glattauer.

O encontro foi tão esclarecedor e incrível e nós absorvemos a informação de tal forma, que eu nem consegui parar para tirar uma foto sequer! Aliás, ninguém! Todos os presentes ficaram coladinhos em suas cadeiras com as atenções totalmente voltadas para as informações que nos eram passadas.

Abaixo divido com vocês as novidades que a turma da Suma contou pra gente!

Oksa Pollock e o Mundo Invisível ,Anne Plichota e Cendrine Wolf – é uma série de livros para jovens que veio para ocupar o vazio que Harry Potter deixou. Com o final da saga de J.K.Rowling, novos adolescentes foram chegando, e carentes de uma boa aventura sobrenatural foram procurar seu amor pela leitura em novas sagas. E é aí que Oksa entra! Com origem na França, a saga conta a história da jovem Oksa Pollock, de 13 anos, uma estudante igual a todo mundo da sua idade. Até que coisas estranhas acontecem a sua volta e Oksa percebe que pode ser ela a causadora de tudo aquilo.A quadrilogia tem apenas um livro lançado no Brasil por enquanto. Mas a Suma promete um curto espaço de tempo para o lançamento de sua sequência.

Leia uma sugestiva resenha no no blog parceiro Livros Minha Terapia, feito pela amiga Raffa Fustagno clicando aqui.

E olha eu de Oksa! Promessa é dívida! : )))

DSC01017kakakaka…

Outra sequência super esperada é a de Destino – Ally Condie. Seu segundo livro,Travessia, que traz uma linda capa e a continuação da história de amor de Cassia e Ky, também nos trouxe questões sobre o gênero literário mais queridinho do momento: distopia.

Também super aguardados, são os livros de Carlos Ruiz Zafón. Com o sucesso de Marina e A Sombra do Vento, a Suma lança em junho a continuação: O prisioneiro do Céu, leitura obrigatória para quem curte uma narrativa sombria, mas extremamente sensível e inteligente.

O aclamado Stephen King também já garantiu seu lugar entre os lançamentos da Suma esse ano! O “pequeno” livro deve ter entre 800 e 900 páginas e a Editora já pensa em lança-lo em e-book.

E por fim, minha mais grata surpresa! O livro “@amor” de Daniel Glattauer (aquele que ganhamos ainda na 1°revisão!), conta uma história extremamente surpreendente sobre duas pessoas que criam um estranho laço de intimidade através de um equivocado email.

E que já tem sequência prevista!!! A resenha você lê aqui no Envenenadas amanhã! ; )

O mais legal foi saber que a Suma  está super focada na opinião de seus leitores e que eles estão abrindo espaço para os blogueiros e tornando nossas opiniões cada vez mais relevantes.

Obrigada a Ju por nos convidar para participar desse super encontro, a Halime e todo mundo da Suma por abrir suas portas para o Envenenadas com tanto carinho.

Fique por dentro das novidades da Suma curtindo sua página no Face. Clique aqui!

Beijos!!!

23 de abril de 2012

Resultado da Promoção: ‘Nas Sombras’

Olá envenenadas,

Hoje sai mais um resultado de promoção aqui no blog!!

banneNasSombras copy

Foram váááááááááárias participações, mas infelizmente só duas meninas vão ganhar os prêmios!!

A primeira vencedora que leva para casa o livro Nas Sombras mais um caderninho vermelho envenenado é a…

NasSombras

Ana Sofia Chang!!

Parabéns garota!!

 

Caderninho nas Sombras copy

E o outro caderninho vermelho envenenado vai para…

 

NasSombras2

Marcia Nascimento

Parabéns!!

 

Aguardo o contato de vocês até quarta-feira meninas, com nome e endereço completo!

blogdasenvenenadas@hotmail.com

A Editora Galera vai enviar o livro e eu os caderninhos…

 

Se não entrarem em contato… sorteio de novo, ok?!

 

Beijocas, Math Tonionni

22 de abril de 2012

Resenha de ‘A Linguagem das Flores’ da Editora Arqueiro

A Linguagem das Flores TIPOS5

 

 

 

 

 

A Linguagem das Flores

 

 

Autor: Vanessa Diffenbaugh

Lançamento: 2011

Páginas: 295

ISBN:978-85-8041-017-4

Editora: Arqueiro

 

 

 

 

 

Sinopse

          “Victoria Jones sempre foi uma menina arredia, temperamental e carrancuda.

          Por causa de sua personalidade difícil, passou a vida sendo jogada de um abrigo para outro, de uma família para outra, até ser considerada inapta para adoção. Ainda criança, se apaixonou pelas flores e por suas mensagens secretas.

          Quem lhe ensinou tudo sobre o assunto foi Elizabeth, uma de suas mães adotivas, a única que a menina amou e com quem quis ficar... até pôr tudo a perder. Agora, aos 18 anos e emancipada, ela não tem para onde ir nem com quem contar. Sozinha, passa as noites numa praça pública, onde cultiva um pequeno jardim particular.

          Quando uma florista local lhe dá um emprego e descobre seu talento, a vida de Victoria parece prestes a entrar nos eixos. Mas então ela conhece um misterioso vendedor do mercado de flores e esse encontro a obriga a enfrentar os fantasmas que a assombram.

          Em seu livro de estreia, Vanessa Diffenbaugh cria uma heroína intensa e inesquecível. Misturando passado e presente num intricado quebra-cabeça, A linguagem das flores é essencialmente uma história de amor – entre mãe e filha, entre homem e mulher e, sobretudo, de amor-próprio.

 

FitaLateral

 

Resenha

          Quando recebi o livro para resenhar, jurei que fosse mais uma daquelas histórias melosas, para vender livro mesmo, sabe? Daquelas com um enredo triste e pouco denso que no final agrada o leitor com um final água-com-açúcar. Ledo engano.

          Com uma linguagem fácil, Vanessa Diffenbaugh, leva a gente muito lentamente no início do livro a conhecer a vida conturbada e infeliz de Victoria.

          A adolescente, então com dezoito anos completos, começa a nos relatar sua jornada a partir do momento em que se prepara para deixar o abrigo de órfãs em que vive para ocupar uma vaga em uma casa para jovens emancipadas, a Gathering House, onde terá que trabalhar para comer e pagar o aluguel. Victoria Jones narra sua vida intercalando presente e passado, um seguido do outro.

          O livro é dividido em quatro partes: Cardo, Um coração inexperiente, Musgo e Recomeços. Essa apresentação pode parecer bem simples no primeiro momento (vocês vão entender o porquê dos títulos), mas depois que acabarem a leitura chega-se à uma conclusão: apesar de passado e presente serem apresentados um após o outro e, claro, com acontecimentos distintos e até mesmo sem apresentar correlação entre eles, todos os momentos descritos pela protagonista exercem uma relação muito fiel aos subtítulos!

          Ela nos conta das dificuldades que passou de lar em lar adotivo e de abrigo em abrigo para crianças órfãs. Victoria era uma menina difícil, sociopata e muito problemática. No início, se pensa que Victoria é uma garota rebelde sem tanto motivo assim, cria-se até certa antipatia devido às atitudes intempestivas da garota. Mas depois, conforme ela vai desenvolvendo sua história, você se pergunta se deveria mesmo julgá-la dessa forma. Foi uma criança maltratada por famílias adotivas e que não conheceu o amor, nem mesmo da assistente social que era sua tutora. A menina cresceu no meio da maldade das outras crianças e as matérias que constavam no seu currículo eram a desconfiança, a malícia, o desprezo e o ódio.

          Mas aos nove anos, sua assistente social, que já não acredita mais em Victoria devido ao seu péssimo comportamento, a leva para o que parece sua última chance em conseguir um lar adotivo. Victoria então conhece Elizabeth, sua nova mãe adotiva, e tenta a todo custo sabotar essa aproximação. Vou dizer que dá até raiva de ver a menina aprontando TODAS com Elizabeth, que, apesar de firme, é muitíssimo amorosa e compreensiva. Elizabeth cativa o impenetrável coração de Victoria e então ensina à criança a linguagem das flores e tudo sobre as videiras que cultiva em sua fazenda. Nesse ponto a gente começa a compreender porque ela sabe tanto de flores... Tanto que quando fica sem abrigo, ela começa a trabalhar com Renata, florista proprietária da Bloom.

          Victoria, que é uma sociopata assumida (vocês vão perceber pelas falas dela, chega a ser irritante) começa a interagir com Renata, com os clientes, mesmo contra sua vontade, e também com um vendedor de flores do mercado das flores. Ele lhe oferece um Lírio e ela se sente ultrajada e pensa: Eu não sou uma rainha. É muito bacana mesmo porque Victoria é muito relutante ao assédio do vendedor e eles começam a responder um ao outro com flores!

          Vê-se claramente o sentimento de impotência e de desconfiança da menina. A falta de esperança e o peso de não corresponder satisfatoriamente o amor que sentem por ela criam uma barreira que impede qualquer vínculo com todos à sua volta. E mesmo assim as pessoas vão entrando em sua vida... E reconhecemos o amadurecimento de Victoria em relação a sua dificuldade de se entregar a qualquer relacionamento, seja ele de amizade, amoroso ou mesmo maternal.

          Vanessa Diffenbaugh, com seu livro, além do maravilhoso dicionário de flores de Victoria no final do livro, nos dá grandes lições de vida, como quando Renata diz à Victoria: “Você acha mesmo que é o único ser humano que tem defeitos imperdoáveis? Que foi magoado quase a ponto de entrar em colapso?” E também quando fala que o musgo, que quer dizer amor materno, cresce mesmo sem raízes. Quando vocês lerem, vão entender tudo o que estou querendo dizer.

          A autora já lecionou arte e redação para jovens carentes, tem um filho adotivo e fundou, nos EUA, a Camellia Network (Camélia: meu destino em suas mãos) que é um projeto de apoio aos jovens que estão deixando os abrigos e se emancipando. Bacana, né?

www.camellianetwork.org

          Queria ser mais elucidativa em relação a essa resenha, queria poder me explicar melhor, mas o livro é muito denso e muito complexo. Além das mensagens que cada flor traz, fala sobre uma explosão de sentimentos e sobre as consequências de uma vida que já se inicia privada de amor, de uma criança a quem tudo foi negado. Lindo, triste e tocante de mais! Mas, mensagens lindas no final fazem você refletir:

clip_image002clip_image004 

clip_image006 clip_image008 clip_image010 clip_image012

          Em ordem: pilriteiro, musgo, visco, rosas vermelhas, primavera-dos-jardins e gerânio cheiroso.

          Descubram “A linguagem das flores”!

          Morrendo de vontade de sair expressando meus sentimentos no facebook e mandar flores com mensagens para todos que eu gosto e que não gosto também! (hehe).

          Ameeeei muito, muito! Entrou para os meus favoritos no Skoob. Dê cinco coraçõezinhos, vale seis! Um de bônus... hahaha.

          Beijooo,Indie Nunes

Indie Nunes

Resenhista convidada do Envenenadas

e colunista do “Panelinha da Indie”

18 de abril de 2012

Modelo milagroso de vestido… eu quero!! rs

Olá queridas envenenadas,

Hoje trago para vocês uma moda que andei vendo pelos tapetes vermelhos e revistas de moda por aí que me chamou bastante a atenção!

Vocês já devem ter visto também… é o famoso vestido de Stella McCartney para o inverno de 2012 chamado Octavia.

Ele foi elaborado para dar um efeito óptico na roupa e ajudar as mulheres a conseguir uma silhueta perfeita.

Deem uma olhada!

0,,61579617,00

Dieta antes das festas? Para que?? rs

O vestido tem um efeito emagrecedor e ainda é feito com tecidos com elasticidade intensa, coordenação favorável de cores e linhas e recortes geométricos, fazendo com que a moda trabalhe a favor de seu corpo.

Legal isso, né?!

“O vestido Octavia, criado por Stella McCartney para o inverno 2012 de sua grife, virou hit com jogo óptico esperto, de faixas laterais escuras e cores contrastantes que ajudam a valorizar as curvas, como prova Kate Winslet, fã do modelo. Kate Moss e Penélope Cruz são outras adeptas de diferentes modelos de Stella McCartney na hora de encarar fotógrafos em tapetes vermelhos e outras aparições públicas.”

Captura-de-pantalla-2011-12-29-a-las-00.40.36

Além dos recortes, a escolha dos tecidos é outro recurso que também ajuda na busca pela silhueta perfeita.

Os debruns e listras reforçam a impressão de curvas reduzidas e linhas mais harmoniosas que acabam resultando em uma silhueta mais alongada.

Veja alguns exemplos de personalidades que apostaram nos “vestidos mágicos” com efeitos ópticos que deram super certo!!

alicia_keys_stella_mccartney_dress_slim_vestido-efeito_visual_emagrecedor (1)

Também de preto e branco, Alicia Keys usa Stella McCartney no desfile da estilista, em Paris.

 

Brooklyn Decker Stella McCartney BP 1

A atriz Brooklyn Decker também vestindo Stella McCartney, em estreia no Japão.

 

gwynethpaltrowstellamccartney

Gwyneth Paltrow no Oscar usando um vestido longo preto com faixas laterais cor de pele!

 

la_front_row_de_lfw__420811774_746x1200

Kate Moss com vestido similar, em versão mais curta.

 

jennifer-morrison-in-stella-mccartney-mi4-ny-premiere

Outra que optou por um vestido da Stella foi a atriz Jennifer Morrisson.

 

Liv-Tyler-Blue-Optical-Illusion-Dress

Até a Liv Tyler cai de quatro pelo modelito óptico, mas a frente é azul e as laterais em preto!!

 

kim_kardashian_optical_illusion_dress-alexander_mcqueen

Esta é a Kim Kardashian com um vestido do estilista Alexander McQueen!

Olhem que visual interessante.

 

vestido_faixa_lateral_que_emagrece-afina_cintura_angélica

Aqui em terras brasileiras, nossa querida Angélica também se aventurou com o vestido milagroso da Stella McCartney e do mesmo modelo do de Kate Winslet, mas não ousou tanto preferindo deixar o vestido mais folgado no corpo, diferentemente da atriz americana. E abafa a escolha da sandália… porque não usou um sapato preto lindoooo??? Afffff!!!

Então… o que acharam disso??

Todos o modelos são lindos e já estou copiando alguns e mandando para a minha costureira que não se chama Stella, mas que tem bons preços e talento, ok?! #vidadepobre

Se você tem casamentos, festas e outros eventos para ir e está querendo parecer mais magra… aproveite a moda!!

Beijocas, Math Tonionni

17 de abril de 2012

Resultado da Promo Páscoa Envenenada

Olá envenenadas e envenenados!!!

Depois de uma Páscoa recheada de ovinhos de chocolate, chegamos ao resultado da nossa super promoção!

páscoa envenenda2012 cópia

Foi bem difícil porque cada pessoa, além de argumentar seus motivos, fala de uma forma muito apaixonada sobre os seus livros favoritos. E isso é tudo muito pessoal.

Mas nosso critério de escolha passou longe dos nossos livros favoritos, mas sim pelo quesito originalidade e também pelo poder argumentativo do participante.

Para merecer o premio ele teve que realmente nos convencer!

hehehehehe…

Vamos lá!!?

Flavia Pacheco e seu Ovo “Anna e o beijo Francês”. Porque só quem leu esse livro sabe que se a gente pudesse, pegava o primeiro avião da AirFrance e se jogava nos braços de Étienne!

“O tema do meu ovo seria "Anna e o Beijo Francês". Chocolate ao leite todo recheado e crocante, e com vários desenhos alternados de marcas de beijos e da Torre Eiffel em chocolate branco. Ai que delícia, quero um!!! E ainda de brinde um colar com pingente da Torre Eiffel e um bonequinho do Ètienne que quando aperta o botão ele fala um monte de coisas fofas com aquele sotaque em inglês *-* Bem que poderia existir mesmo né? haha.
E eu escolho esse livro porque ele foi, digamos que, o primeiro que eu li inteiro. Não que tenha sido o primeiro de toda a minha vida, rs, mas foi o que eu mais me identifiquei, o primeiro que eu consegui realmente entrar na história, entender os personagens, viver aquilo tudo sabe? E foi uma experiência simplesmente sensacional. Ainda mais se passando em Paris! É, sem dúvidas, um dos meu top favoritos, que eu releria inúmeras vezes, e o qual eu não consigo tirar a história da cabeça. Fora que sonho e sempre torço para que apareça na minha vida um carinha tão fofo como o Étienne né?! rs.
"Anna e o Ovo Francês, a novidadê mais deliciosê da Pascoê" Ui, ui!! rsrsrs.
Detalhe: viria no ovo também um cartãozinho com um número que valeria para um sorteio de uma viagem para Paris!! OMG, façam um ovo assim!!!”

Cris Aragão e seu Ovo “Gabriela Cravo e Canela”. Pela super originalidade, por valorizar um autor nacional incrível e por fazer uma analogia tão bacana!

“Quando eu vi a promoção logo escolhi o autor do meu livro/ovo: Jorge Amado. Dentre tantos livros que ele escreveu sobre a zona do cacau, eu escolhi 'Gabriela, Cravo e Canela'. Não consigo imaginar livro mais adequado para se transformar em um belo Ovo de Páscoa. A história se passa em Ilhéus, zona produtora de cacau e a personagem principal tem a cor e o tempero que tornariam um ovo de chocolate tão irresistível quanto ela própria. Além do mais a história esbanja sensualidade e sabor. Sendo assim desejo a todos uma Feliz Páscoa temperada com cravo e canela, saboreiem o meu Ovo de Páscoa com sabor de Brasil.”

Vanilda e seu Ovo “Saga Crepúsculo”. Por conseguir expressar um sentimento unânime, de todos nós, leitores adultos, apaixonados por YA!

“O meu OVO-LIVRO seria da saga Crepúsculo, porque aos 40 anos, mesmo enfrentando preconceito e olhares atravessados, Crepúsculo me devolveu a alegria de ler e mergulhar em um universo fantástico, me dando a opção de ir para Forks sempre que a realidade se tornava opressiva demais. Páscoa é renascimento, vida nova e eu devo grande parte da minha nova vida literária à Stephenie Meyer, que abriu as portas de um mundo onde eu posso me abrigar sempre que preciso.”

Parabéns meninas!!! Mandem seus e-mails para blogdasenvenenadas@hotmail.com

A ordem de escolha dos mesmos respeita a ordem de chagada dos e-mails, certo!?

Os livros tem um prazo de entrega de 30 dias.

Obrigada por participarem dessa promo!

E se liguem nas outras! O blog está cheio de coisas boas para vocês!

Promo Nas sombras

Promo Delírio

Beijos!

15 de abril de 2012

Brindes do livro DELÍRIO para você!!

Olá envenenados,

Que tal ganhar lindos brindes do livro Delírio lançamento da Editora Intrínseca?

Olha aí que fofis!!

BannerDelirio copy 

O caderninho é pequeno, mas é uma gracinha!

Coloquei a foto da capa da frente e da de trás no banner acima para vocês verem!!

E o botton é a capa do livro! Muito lindo também!!

E notícia mais legal de todas é que temos DOIS kits para sorteio!!

Serão dois vencedores!!

Nós amamos vocês mesmo, hein?! he he he he he he he

 

Para participar vocês devem seguir as regrinhas básicas:

 

  • Ser seguidor público do blog!!

  • Comentar na resenha escrita pelo blog! Clique aqui. E não vale comentários como: “Legal ou adorei, etc.”

  • Deixar um comentário legal nesse post, tipo: “Estou participando e não vivo sem este blog envenenado!”, e ainda colocar seu nome, nome de seguidor e nome no twitter!

  • E twittar a seguinte frase:

Eu quero os BRINDES de DELÍRIO que as @Envenenadas vão me dar! #brindedelirio http://bit.ly/aLKkBm

Feito tudo isso, você já pode começar a torcer!

Serão dois ganhadores!!

 

A promo começa hoje, dia 15/04 e vai até dia 30/04.

O sorteio será feito pelo site twicket.

Boa sorte!!

Beijos, Math Tonionni

12 de abril de 2012

Resenha de ‘Delírio’ da @Intrinseca


Boa noite envenenados…

Tem alguém aí sofrendo de amor?

Amando demais?

Revoltado com ele?

Bem… se você já experimentou o amor de alguma forma… você TEM que ler este livro! #Fato

Que livro?? Este aqui…

CapaDelirio-WEB1



Delírio


Autor: Lauren Oliver
Editora: Intrínseca
Páginas: 342
Ano: 2012
 
 
 
 
 
 
 
 Sinopse
          Muito tempo atrás, não se sabia que o amor é a pior de todas as doenças.

          Uma vez instalado na corrente sanguínea, não há como contê-lo. Agora a realidade é outra. A ciência já é capaz de erradicá-lo, e o governo obriga que todos os cidadãos sejam curados ao completar dezoito anos.
          Lena Haloway está entre os jovens que esperam ansiosamente esse dia. Viver sem a doença é viver sem dor: sem arrebatamento, sem euforia, com tranquilidade e segurança. Depois de curada, ela será encaminhada pelo governo para uma faculdade e um marido lhe será designado. Ela nunca mais precisará se preocupar com o passado que assombra sua família.
          Lena tem plena confiança de que as imposições das autoridades, como a intervenção cirúrgica, o toque de recolher e as patrulhas-surpresa pela cidade, existem para proteger as pessoas. Faltando apenas algumas semanas para o tratamento, porém, o impensado acontece: Lena se apaixona. Os sintomas são bastante conhecidos, não há como se enganar — mas, depois de experimentá-los, ela ainda escolheria a cura?
 FitaLateral
Resenha

          Você já imaginou viver num mundo sem amor? Num mundo onde ele é considerado uma doença e onde alguém pode ser exterminado caso o contraia??

          Eu não!

          Mas a nossa querida autora Lauren Oliver foi capaz desta proeza e escreveu um livro onde o amor é o personagem principal que causa todos os problemas e que é capaz de matar sem dó nem piedade.

          O amor pode te levar a loucura? A depressão? Ao desgosto? Ao ódio? A guerra?

          O governo, no livro Delírio, tem certeza que isso é possível e para proteger seus cidadãos decreta uma lei onde todos que chegarem a completar 18 anos deverão passar por um tratamento obrigatório erradicando assim o amor de suas vidas definitivamente.

          Livres do mal, todos são levados a creditar que viverão num mundo justo onde nunca sentirão o gosto amargo do sofrimento ou tampouco os sabores fortes da paixão.
 Todos serão felizes e estarão seguros para sempre!

          Todos acreditam piamente nisso… ninguém contesta que a ‘cura’ foi a melhor solução criada pelo governo para que todos vivam em paz, mesmo quando fatos estranhos acontecem e contradizem a balela inventada pelo governo.

          Nem todos são curados… o amor ou a doença chamada Deliria Nervosa, é capaz de ‘infectar’ novamente algumas pessoas que passam pela tal ‘intervenção’ e eles preferem amar do que virarem pessoas frias e sem paixão.

          É nesse contexto, para mim bem assustador, que conhecemos a protagonista desta história. Lena é uma garota de 17 anos que conta os dias para que a intervenção chegue logo e que ela possa ser uma pessoa curada e nunca fique ameaçada em sentir o amor em suas veias.

          Ela tem motivos mais do que de sobra para ter este pensamento. Sua mãe apesar de passar pela intervenção 4 vezes nunca conseguiu ficar curada do amor, ela celebrava o amor e o buscava. É claro que o final dela não foi nada bom…

          Assim, Lena se torna uma menina racional demais e como foi ensinado a ela na escola e na casa de sua tia, onde vive agora, o amor deliria nervosa afeta nossa mente, impedindo-nos de pensar com clareza ou tomar decisões racionais sobre nosso próprio bem-estar e ainda é capaz de desenvolver nas pessoas outras doenças bem sérias como: depressão, ansiedade, problemas cardíacos, hipertensão, insônia, transtorno bipolar, estresse e etc.

          Quem nunca sentiu algum deste sintomas enquanto estava amando??? rs #fato

          Bem, devo confessar que no início do livro a Lena é uma chata… certinha demais… careta demais… racional demais!

          Mas, felizmente, ela não permanece assim por muito tempo. Ela finalmente conhece um rapaz chamado Alex que vira seu mundo de cabeça para baixo e clareia e estremece sua racionalidade.

Agora, ela teme a intervenção e descobre que o amor realmente é perigoso, mas é delicioso senti-lo!

          É aí que o livro começa a ficar mais dinâmico e interessante… Lena se transforma, pois o amor nos dá forças para lutar no que acreditamos e nos dá esperança de um futuro melhor.

          Ela finalmente começa a enxergar a forma arbitrária com que o governo lidera e numa reviravolta louca da autora (eu adorei ela por isso), fatos impressionantes são revelados sobre a mãe de Lena fazendo com que a história tome um rumo diferente.

          O final do livro é dolorosamente lindo e eu chorei com toda a emoção descrita nele.

          Lauren nos presenteou com um livro bem introdutório em Delírio e nos deixou com alguns sintomas sérios de ‘deliria nervosa’ a espera do próximo livro… já que você fica ansioso e louco para ler a continuação chamada de Pandemônio.

          A Intrínseca gentilmente e intencionalmente coloca um trechinho do primeiro capítulo de Pandemônio no final de Delírio e este pequeno trecho já promete uma Lena forte e cheia de más intensões com o governo insolente! Yey!!!

          O livro é interessante e instigante… faz a gente pensar e repensar como o amor pode ser deturpado por alguns e desfrutado por outros!

          Eu espero sinceramente que você, que está lendo esta resenha, saiba desfrutar o amor e reconhecer que ele é uma dádiva linda!

          Não posso deixar de mencionar a beleza da capa que é magnífica… ela não é azul como parece na foto aí em cima, ela é azul metalizada… um show!!

Beijocas, 

11 de abril de 2012

Agora as novidades são da Universo dos Livros!!!

Ai que delícia meu povo!!!

Os forninhos das editoras trabalhando a todo vapor e a gente quase fazendo jornada tripla pra comprar livro!!!

G-zuis!

Olha o que a Universo dos Livros está trazendo de bom para as nossas estantes esse mês de abril!!!

lancamento2

Ai, ai… Três livros envenenados e um evento IMPERDIVEL EM CARATER FEDERAL!!!!

(Para saber mais sobre o evento, clique na imagem!)

“Amante Libertada” dispensa qualquer comentário simplesmente porque é Ward, é Irmandade e é a Payne!!!!!! OMG!!!!

“Siresong” também é um livro que eu aguardo muito ansiosa pois estou louca pra saber como a danadinha da Dana vai resolver a sinuca de bico que se enfiou com seus 3 gatinhos!!!

E por fim, o não menos importante e com o título mais sugestivo hehehehe “Como enlouquecer um homem na cama”. Um guia para os entendidos ou não, tirarem proveito das artes da alcova! hahahaha…

A-D-O-R-O!

E para o mês de maio, ainda temos um super convite para o IAN DAY que vai acontecer em várias cidades do nosso pais! Já se deu conta? Todas nós, fãs, pensando em Irmandade da Adaga Negra ao mesmo tempo, do Oiapoque ao Chuí!?

É capaz de um Irmão até se materializar no evento!

Vai ser lindo!!!

É isso aí Universo dos Livros! Trabalhando a todo vapor pra ver seus leitores mais felizes!
Beijo genteeeee!

Novidades da Editora Arqueiro: “O resgate do tigre”

Bom dia meu povo!!!

Euzinha aqui já não aguantava mais esperar por esse lançamento. E também devia estar deixando metade da galera da Arqueiro de cabelo em pé de tanto perguntar! rsrsrsrs…

Saiu no face deles hoje! Dá só uma olhadinha aqui.

Ele já tem data pra estrear nas prateleiras da sua casa: 07 de maio!!!

Oha esse Kishan na capa!!! Morri!!!

U-AU!

“Entra na minha casa, entra na minha vida…”

Mas uma vez a Arqueiro arrasando! Aiaiaiai…

Beijocas!

10 de abril de 2012

Resenha “O melhor de mim”, Editora Arqueiro

Bom dia meus amores!

Na resenha de hoje eu trago ternura, amor, amizade, companheirismo… Reviravoltas, ação e até um pouquinho de violência…

E estou falando de Nicholas Sparks! É! Pode acreditar! E que está de casa nova; agora ele sai direto do forno da Editora Arqueiro para a sua estante!

           Então vamos lá? Com vocês…

Melhor de mim, O


O melhor de mim
 
Livro: O melhor de mim 
Autora: Nicholas Sparks 
Páginas: 272
Editora: Arqueiro
ISBN: 9788580410495
 
 





Sinopse
“Na primavera de 1984, os estudantes Amanda Collier e Dawson Cole se apaixonaram perdidamente. Embora vivessem em mundos muito diferentes, o amor que sentiam um pelo outro parecia forte o bastante para desafiar todas as convenções de Oriental, a pequena cidade em que moravam.
Nascido em uma família de criminosos, o solitário Dawson acreditava que seu sentimento por Amanda lhe daria a força necessária para fugir do destino sombrio que parecia traçado para ele. Ela, uma garota bonita e de família tradicional, que sonhava entrar para uma universidade de renome, via no namorado um porto seguro para toda a sua paixão e seu espírito livre. Infelizmente, quando o verão do último ano de escola chegou ao fim, a realidade os separou de maneira cruel e implacável.
Vinte e cinco anos depois, eles estão de volta a Oriental para o velório de Tuck Hostetler, o homem que um dia abrigou Dawson, acobertou o namoro do casal e acabou se tornando o melhor amigo dos dois.
Seguindo as instruções de cartas deixadas por Tuck, o casal redescobrirá sentimentos sufocados há décadas. Após tanto tempo afastados, Amanda e Dawson irão perceber que não tiveram a vida que esperavam e que nunca conseguiram esquecer o primeiro amor. Um único fim de semana juntos e talvez seus destinos mudem para sempre.
Num romance envolvente, Nicholas Sparks mostra toda a sua habilidade de contador de histórias e reafirma que o amor é a força mais poderosa do Universo - e que, quando duas pessoas se amam, nem a distância nem o tempo podem separá-las.”

FitaLateral


Resenha
         
Ah Nicholas, Nicholas... Onde você quer nos levar com tanta doçura? Você que já escreveu os amores e as agruras da vida através dos caminhos mais tortuosos, que já falou de todos os tipos de relações familiares e nos mostrou o quanto à amizade pode ser mais do que um simples encontro de afinidades, mas uma verdadeira família cuja a escolha é nossa... Ai, ai...

Em “O melhor de mim”, Sparks capricha e parece mesmo querer fazer um trocadilho com o título do seu primeiro livro lançado pela Editora Arqueiro.

Como eu ainda não li todos os seus livros, gostei de ver sua ousadia em acrescentar temas que não costumam permear suas histórias; o suspense, a violência e o sobrenatural fogem um pouco a sua costumeira cena, mas ilustram com maestria história de Amanda e Dawson.

Vivendo um amor impossível, o jovem casal tenta transpor todas as barreiras e lutar por seus sentimentos contra suas famílias no ano de 1984. Amanda, que vem de uma árvore genealógica nobre da pequena cidade de Oriental, tem seus pais e seus dogmas em seu encalço insistindo em mantê-la afastada de Dawson Cole.

Tudo porque o rapaz vem de uma família cuja a violência é sua marca registrada. Os Cole tem um histórico de “fazer (in)justiça com as próprias mãos” e Dawson acaba carregado esse estigma.

Cansado de sofrer abusos por parte de seu pai e de seus primos, o jovem resolve se mudar para oficina de Tuck e lá encontra um jeito de refazer sua vida. Ainda subjugado aos homens de sua família, Dawson suporta maus bocados durante um tempo, amparado ao amor intenso que sente por Amanda e a presença do velho mecânico.

Mas as fatalidades da vida sempre dão um jeito de encontrar os protagonistas de Nicholas Sparks não é mesmo!? Pois bem! Um acidente de carro cruza o destino de Dawson e por herdar um sobrenome de peso negativo, ele acaba preso e distanciando-se por fim de Amanda.

Anos se passam e cada um reconstrói sua história ao seu modo, sem conhecimento do rumo que a vida do outro tomou, até que uma ligação alertando-os sobre a morte do amigo Tuck os une novamente.

E aí que o bom e velho Nicholas Sparks dá vida a esse livro, sinalizando os sentimentos mais puros e nobres, mostrando o quanto vale a pena amar e viver intensamente cada minuto que uma chance, por mínima que seja, deva ser aproveitada quando nos é dada como dádiva.

Considero esse livro o mais diferente de todos os livros que já li desse autor. Como já citei acima, tive a sorte de encontrar variados gêneros literários em um título só. Coisa que me tirou da monotonia e me sacudiu com um final incrivelmente surpreendente.

Cada dia que passa, acredito que Nicholas Sparks tem um dom. O de fascinar as pessoas com sua sensibilidade e a sua capacidade de entender a alma humana. Quem pensa que irá encontrar sempre as mesmas cenas de amores adolescentes, dificuldade sociais ou enganos familiares irá se surpreender com essa obra, pois o juízo desse autor sobre as “coisas do coração” vão além da capacidade de compreender o que se sente. Ele transcende abordando culpas do mesmo modo que aborda as curas para os males de nossas mentes.

Parabéns a Editora Arqueiro pela belíssima aquisição! Ter um autor como Nicholas Sparks em sua lista não é para qualquer um. E uma Editora séria e com uma equipe competente como a de vocês merecia esse presente.

Aliás, muito obrigada pela gentileza de nos enviar exemplares dessa obra maravilhosa!

Um beijo grande a todos!

Fê Madeira

Ou receba as atualizações no seu email:

Delivered by FeedBurner

Posts Recentes

Últimos Comentários

As envenenadas pela maçã Ѽ by TwilightGirls RJ Ѽ - Copyright © 2012 - Todos os Direitos Reservados