28 de dezembro de 2012

Sexta Envenenada: Amante Meu


“A morte vem de longe
Do fundo dos céus
Vem para os meus olhos
Virá para os teus
Desce das estrelas
As loucas estrelas
Trânsfugas de Deus
Chega impressentida
Nunca inesperada
Ele que é na vida
A grande esperada!
A desesperada
Do amor fratricida
Dos homens, ai! Dos homens
Que matam a morte
Por medo da vida.”
Vinícius de Moraes

“Deus, ele amava a vida. Amava a vida e todas as pessoas daquela casa e todas as pessoas de valor em todos os cantos do mundo. Não foi fácil... mas o destino acabou endireitando as coisas.
Afinal, tudo acontece exatamente como estava destinado a ser.”
Amante Meu




Olá, Envenenados!

Como estão todos? Espero que bem, com grandes expectativas, sonhos e esperanças para 2013. Mas também espero que 2012 tenha sido um ano tão bom para vocês como foi para mim.
Tive muito trabalho, aporrinhações, estresses que o trabalho em duas escolhas traz. Mas, ao final, a conclusão a que chego é que foram experiências de vida e, como tal, sempre acrescentam algo; boas ou ruins, devemos tirar delas o melhor de nós mesmos. Em determinadas situações, cheguei a um ponto que não imaginava que pudesse chegar; sou conhecida pelo meu pavio curto. Então, acho que me experimentei e percebi que posso muito mais do que supunha.
Por outro lado, tive oportunidades que amenizaram os momentos difíceis. Reencontrei amigas queridas e conquistei outras que foram um acréscimo de um valor inestimável em minha vida.
Hoje, pessoas como Mathilde Tonioni, que me agracia a cada postagem da Sexta Envenenada, depositou em mim uma confiança que faço de tudo para ser merecedora, faz parte da minha vida.
Estar aqui é uma realização, pois falar sobre o que amo, o que me dá prazer, para pessoas que curtem o mesmo que eu, mesmo que com olhares diferentes, tornou 2012 um ano de crescimento, de satisfação, ainda que desafiador.
Obrigada a todos vocês que prestigiam este blog fofo e esta coluna recém-nascida e que tem me dado oportunidade de compartilhar prazeres. Sempre fui muito faladeira, acho até que poucos têm paciência para me ouvir, mas o que aqui escrevo é exatamente o que penso e costumo falar, assim, obrigada por me emprestarem seus olhos e seu tempo. E que venha 2013 com mais livros, mais personagens maravilhosos e mais autores fantásticos.
E por falar em autores fantásticos, nossa mentora de romances sobrenaturais, J.R. Ward volta para encerrar o ano com um dos seus mais queridos personagens.
Dando sequência ao desfile dos vampiros mais gostosos do planeta, hoje trago Darius/JohnMatthew/Tehrror, como o absinto da vez.
Devin Paisley
Mas antes de começar a falar de John Matthew, personagem principal de Amante Meu (Lover Mine), preciso dizer que Darius é um dos meus Irmãos mais queridos e, em minha humilde e abelhuda opinião, acho que merecia um livro só para ele. Darius é o primeiro a aparecer em toda a série da Irmandade da Adaga Negra (The Black Dagger Brotherhood), na verdade a primeira palavra que nos é apresentada nos textos de toda a série é seu nome, quando começamos ler Amante Sombrio.

Assim, acho justo que tenhamos dois absintos hoje, até porque sem Darius, e tudo pelo que passou, não haveria John.
 Djordje Bogdanovic & Devin Paisley
 John Matthew aparece em cena pela “primeira” vez em Amante Eterno, e um pouco mais adiante vamos desvendando seus mistérios. Na verdade, sua história começa em Amante Sombrio, primeiro livro da IAN, quando ele, ainda como Darius, aguarda Wrath, a quem precisava recorrer para salvar a vida de sua filha mestiça.
Não sei quanto a vocês, mais não vejo Darius, mesmo neste episódio, como um desses personagens que são usados para dar um pontapé inicial na trama e depois são descartados. Claro que não é o que acontece com ele, mas só vamos saber disso no desfecho da história. E desde esse momento ele despertou meu interesse.
Acontece que com sua morte, que me deixou muito chateada, é que a trama pôde ter início, afinal, somente por essa razão é que Wrath resolve cuidar de Beth, a filha de Darius, que está prestes a passar pela transição. Wrath, a quem todos temem, que é apresentado como um dos guerreiros mais letais e frios da Irmandade, sente-se mortalmente ferido pelo assassinato de seu guerreiro mais leal.

E, assim, mesmo em sua ausência vamos conhecendo o mundo de Darius; homem com gosto extremamente requintado, que construiu um império financeiro e a fortaleza que passará a ser o lar da Irmandade - um antigo sonho seu.
Mais adiante, vamos vê-lo novamente, quando está prestes a entrar no Fade, local onde os mortos reencontram seus entes queridos por toda a eternidade. Ali ele é recebido pela mãe da raça, a quem fará um pedido muito especial. Claro, ela concede, tendo em vista seu histórico honrado.
Aqui começa o Meu dilema.
A Virgem Escriba (acreditem, estou rosnando) permite que ele volte, mas com outro corpo e uma espécie de pedágio, muito caro a meu ver, porque ele tem uma necessidade vital de estar próximo da filha.
Acontece que, quando John Matthew aparece em Amante Eterno, muito discretamente vamos desvendando sua história. Ele é um jovem muito magrinho e frágil para sua idade, órfão de pai e mãe, mudo e com um trauma gigantesco para carregar  que encontra em Mary, futura shellan de Rhage, alguém por quem sente um forte instinto de proteção (e que, sem explicação, mal se encontram depois que ele é entregue à Irmandade).
Em um de seus encontros na casa de Mary, John conhece Bella, uma vizinha de uma beleza embriagante que percebe a verdadeira origem de John.
Então, Bella consegue entrar em contato com a Irmandade e passar a informação de que conheceu um rapaz, que está prestes a passar pela transição, mas não faz ideia disso. Assim, John Matthew (reencarnação do princeps guerreiro Darius) entra no seio da Irmandade da Adaga Negra.

O que me intriga, em tudo isso, é que Darius retorna, claro, sem se lembrar de nada de sua vida anterior, mas com o forte objetivo de se aproximar de sua amada filha Beth, mas não é o que acontece. Temos a oportunidade de ver John sendo adotado pelo meu querido Tohrment (UHU! Ganhei Amante RenascidO!) e sua shellan Wellsie; sofre horrores por se sentir inferior aos outros, em vários níveis, e principalmente por achar que sua transição nunca chegará, ganha um arqui-inimigo, Lash, dois grandes amigos, Qhuinn e Blay, cria um elo maravilhoso com os Irmãos, sobretudo Tohr e Zsadist, se apaixona por Xhex; enfim, sua história na vida atual é praticamente toda contada em todos os livros que antecedem o seu, porém quase não o vemos se relacionando com Beth.
Enfim.. vai entender!
Mas vamos assistindo suas aventuras, seus aprendizados e seus sofrimentos, que, embora sua história seja contemporânea e muito distante dos séculos em que os demais Irmãos viveram, passando por horrores tremendos, cada um em seu momento, John também passa por muitos momentos de intensa dor, física e emocional.
Com tudo isso, em Amante Meu, vemos seu amadurecimento, como guerreiro, como filho, como amigo e como homem. Mas confesso que entro em transe quando seus momentos íntimos são descritos pela autora.
John ilustra um dos meus fetiches mais íntimos; acho extremamente excitante observar a forma como ele se manipula sexualmente. Gente, que fique claro: não sofro de mixoscopia ("que é um helenismo – se origina no grego. Há um sinônimo mais conhecido da mixoscopia: o voyeurismo [...]. Mixoscopia é a 'perversão' daqueles que se excitam ao observar atos sexuais, entre terceiros, ou a nudez alheia, sem que possuam qualquer poder de interferência nos atos. É o clássico ato de espiar pelo buraco da fechadura. Ou pelo binóculo, nas cidades"). Como já disse antes, tenho uma imaginação muito fértil que, associada à descrição tão detalhada das ações de nossos guerreiros, torna difícil não me imaginar fazendo algo do tipo na vida real.

Amante Meu traz suas batalhas pessoais e o põe definitivamente na linha de frente na guerra contra a Sociedade Redutora. Lógico que isso já vem acontecendo nos livros anteriores, mas é em Amante Vingado (do meu Rehv querido) é que John toma a guerra como algo pessoal.
Quando Rehv está sendo resgatado, Xhex é sequestrada por Lash, que desde Amante Consagrado foi revelado como o filho do Ômega, líder da Sociedade Redutora e, portanto, a tão esperada arma contra os vampiros.
Milla Jovovich
John se envolve de tal forma na procura por Xhex que sequer percebe o que  acontece ao seu redor. Até mesmo a tentativa de reaproximação de Tohrment é ignorada pelo jovem.
É também em Amante Meu que um pouco da história de Darius e Tohrment é contada. Mas, como eu falei sobre Vishous, há muito mais para ser contado sobre esse Irmão, não somente sobre John, pois ele já vem sendo mostrado constantemente em todos os livros, como disse também. Mas acho que Darius merece uma atenção especial.
Todos acreditam que John é outro filho de Darius e talvez por isso, alguns Irmãos passam a ter uma relação especial com ele. Mas é Zsadist, além de Tohr, quem mostra isso de maneira muito profunda.
Em Amante Desperto a Irmandade sofre com outra tragédia em seu seio, o que faz com que John vá viver na fortaleza com sua “irmã” e todos os outros. Z assume um papel fundamental na vida de John e vice-versa, e ambos se apegam e se ajudam, como jamais poderiam imaginar serem capazes.
Mais uma vez a sra. Ward se supera e cria tramas tão fantásticas que me fazem questionar: “Sério? De onde veio tanta história?”
Assim, vamos presenciando a evolução de um personagem lindo, sonhador  em todas as vidas, sempre protetor, frágil e forte ao mesmo tempo, jovem e maduro, envolvido em dois mundos, em dois tempos, mas decidido a segurar as rédeas da própria vida. 

             E erótico... muito erótico.
John protagoniza algumas das cenas mais estonteantes no quesito sexual. Talvez um bônus que a autora lhe confere, depois de tanto tempo como o magricela, cujo pênis mais parecia com o de um menininho e que, de quebra, sofreu abuso quando mais novo.
Tenho a impressão de que há ainda muito a ser contado sobre John/Darius. Assim espero. São dois personagens riquíssimos e encantadores.
Vou ficando por aqui, agradecendo mais uma vez pela presença de todos e desejando que tenham uma passagem de ano tão maravilhosa quanto os orgasmos dos Irmãos, tão radiante quando a beleza e o poder de cada um deles e que estejamos juntos em cada um dos 365 dias de 2013.
Fiquem bem e Carpe Diem, hoje, amanhã e sempre!

Tania Lima

6 comentários:

  1. Mais uma descrição deliciosa de um dos incríveis Irmãos. O John atrai desde antes da transformação. É um personagem riquíssimo. Concordo contigo sobre a Ward dedicar um livro para o Darius, explicando, por exemplo, a relação dele com a mãe da Beth. Enfim...
    Querida! Aproveito para te desejar um início de ano fantástico, com muita alegria, amor e saúde. Milhões de beijos!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Rosane, minha amada amiga!
      Pensei que somente eu tivesse essa impressão sobre Darius, ufa, que alívio! Acho que esse personagem realmente tem muito a ser explorado, assim como o próprio John.
      Fico feliz que tenhas lido a série e se encantado com as história, assim como as suas nos encantam.
      Desejo a ti e aos teus uma passagem de ano fenomenal, que 2013 seja o nosso ano e que possamos nos reencontrar em breve. Te amo, querida!
      Beijos

      Excluir
  2. Ahh que post delicioso!!!!

    Adorei a descrição,as escolhas,tudoooo!!!


    Sexta mais que envenenada,fechou o ano com chave de ouro!!!

    bjsss

    Bianca

    www.apaixonadasporlivros.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, Biazinha!
      John é tudo de bom mesmo! E os casas são uns gatos mesmo! Achei legal também porque poucas pessoas idealizam o Darius, e eu sou louca por ele.
      Obrigada por estar sempre presente e por fazer parte do grupo de pessoas mais deliciosas que conheci em 2012.
      Beijões, linda!

      Excluir
  3. Adorei o post Tania, você vem se superando a cada sexta-feira! Eu também gosto muito do Jhon e como você também gostaria de ver uma interação maior dele com a irmã/filha e com a Mary, de quem ele se sentia tão próximo...
    Desejo que seu ano novo seja repleto de alegrias e com muito mas muito tesão!!! Bjus
    Lia Christo
    www.docesletras.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lia, minha "lora"!
      Fico feliz em saber que há mais em comum entre nós do que imaginávamos. E obrigada por suas palavras; mas me empenho e tentar melhorar por causa de pessoas como você, que sempre nos prestigiam lendo e comentando, o que é importante para sabermos se estamos ou não fazendo algo agradável.
      Quem sabe eu crie coragem,arranje tempo e escreva eu mesma uma história para Darius... vontade não falta!
      Também desejo que 2013 seja um ano cheio de orgasmos em todos os sentidos, no amor, no trabalho, nas realizações pessoas e sobretudo nas amizades que estamos conquistando. Amei te conhecer, mesmo! Precisamos criar mais oportunidades para nos reencontrarmos!
      Beijos

      Excluir

Destile seu veneno, comente!

Ou receba as atualizações no seu email:

Delivered by FeedBurner

Posts Recentes

Últimos Comentários

As envenenadas pela maçã Ѽ by TwilightGirls RJ Ѽ - Copyright © 2012 - Todos os Direitos Reservados