13 de dezembro de 2012

Resenha: 'Gelo Negro' da @Intrinseca


A nova aventura do detetive mirim!

O terceiro volume da série: O jovem Sherlock Holmes


Título: O Jovem Sherlock Holmes – Gelo Negro
Autor: Andrew Lane
Editora: Intrínseca
Paginas: 256
Tradutora: Débora Isidoro


Sinopse

Você acha que o conhece? Pense duas vezes.

UM QUARTO TRANCADO

UM CADÁVER

UM HOMEM EMPUNHANDO UMA FACA

Quando o irmão de Sherlock é surpreendido com uma faca nas mãos, debruçado sobre um cadáver, todas as evidências indicam que se trata de um assassinato. Mas o garoto não acredita nisso, e sua natureza inquieta não o permitirá deixar de lado a oportunidade de investigar o caso a fundo — especialmente porque dessa vez não é apenas a solução de um mistério que está em jogo. Caso a verdade não venha à tona, Mycroft será condenado à forca.
Em uma eletrizante busca por provas, Sherlock irá mais longe do que jamais foi, até a distante Moscou. Para salvar Mycroft, ele precisa deduzir a identidade do verdadeiro criminoso, mas as dúvidas são muitas. E os perigos também.

• Os dois primeiros livros da série venderam 20.000 exemplares no Brasil em um ano.

• Série aprovada pelo Conan Doyle State, que detém os direitos de uso do personagem Sherlock Holmes nos Estados Unidos.

“Vai impressionar os fãs do detetive de todas as idades...
Uma história de sucesso elementar.”
The Independent

“Um olhar intrigante sobre a época e o desenvolvimento desse amado
personagem, que agradará a todos os leitores.”
Kirkus Reviews

Confira as resenhas dos outros livros da série:




Olá amigas e amigos Envenenados!

Estou de volta para lhes falar um pouquinho do novo livro de Andrew Lane publicado aqui no Brasil: O Jovem Sherlock Holmes – Gelo Negro.

Devorei o livro. Mais rápido que os outros. Eu simplesmente não parava de ler.

A cada página, a cada capítulo eu me deparava com características bem conhecidas de um Sherlock adulto que já é velho conhecido meu. Descobrir essas características no jovem Sherlock, ver a maneira como o autor tem tratado o personagem central e os demais apresentados, respeitando as suas características originais e amarrando as histórias umas nas outras é muito estimulante.

Neste terceiro volume, o jovem Sherlock se depara com muitas mudanças ao seu redor, principalmente quando começa a perceber que as pessoas que lhe são próximas e queridas, que lhe dão segurança e são seu porto seguro, não são exatamente como ele pensava que fossem. A proximidade com cada uma delas e a sucessão de acontecimentos que a vida lhe trás começa a mostrá-lo que as coisas não são tão simples ou fáceis de entender como até agora ele pensava.

Seu treinamento com Amyus Crowe segue normalmente e sem interrupções, mesmo durante uma pescaria despretensiosa ou durante o chá da tarde. Dessa forma, mesmo no dia-a-dia, nas coisas que são aparentemente bem simples, podem se mostrar como excelente material didático para Crowe. E assim, Sherlock vai amadurecendo cada vez mais e caminhando em direção ao seu destino: o de se tornar o maior detetive de todos os tempos.

Ponto muito positivo na trama também para a apresentação detalhada para a figura de Mycroft Holmes, o irmão mais velho de Sherlock e seu estilo de vida, modo de raciocínio e funções desempenhadas no Ministério das Relações Exteriores e seu relacionamento com Sherlock.

Como se sabe, principalmente se você já leu os dois primeiros livros da série, Amyus Crowe também foi tutor de Mycroft, como é agora de Sherlock. E é dele que vem toda a técnica e orientação para o desenvolvimento de um raciocínio lógico e preciso. Acompanhar o jovem Holmes a desenvolver tal capacidade é muito agradável.

A história é envolvente contendo intrigas políticas, confrontos com bandidos, investigações pelas ruas de Londres, visitas agitadas a museus e uma viagem até a Rússia do Czar Alexandre II.  

Sherlock está amadurecendo e caminhando em direção ao homem reto, brilhante e de convicções que se tornará.

            Destaque especial para o primeiro contato de Sherlock com a arte do disfarce e a volta da Câmara Paradol, que aparece no livro anterior - O Parasita Vermelho; uma espécie de sociedade secreta formada por pessoas que tentam uma mudança no cenário do governo mundial.

            Intrigas, conspirações, traições, disfarces... tudo isso e muito mais nessa excelente história.

          Diferentes dos dois primeiros livros, neste terceiro volume, não têm a prévia do primeiro capítulo do próximo volume. Ao invés, é apresentado um apêndice de ‘Notas históricas’ onde o autor fala sobre sua pesquisa para a escrita do livro e avisa que no próximo volume, Sherlock vai confrontar a desagradável Sra. Eglantine, a governanta da mansão Holmes.

A excelente pesquisa feita pelo autor, me levou a folhear minha coleção de edições comentadas das Aventuras de Sherlock Holmes e descobri que a Câmara Paradol foi citada por Conan Doyle, criador do personagem, em ‘As Cinco Sementes de Laranja’. Como vocês também já sabem, as historias originais escritas por Doyle são contadas e registradas pelo médico Dr. Watson, amigo e companheiro de Holmes em suas inúmeras aventuras quando adulto. No Caso ‘As Cinco Sementes de Laranja’, Watson menciona casos registrados por ele, entre os quais os da Câmara Paradol, dos Grice Paterson na ‘ilha de Ulfa’, da Sociedade Mendicante Amadora e outros. Parabéns para o autor que escolheu uma citação obscura ou esquecida por Conan Doyle, e tem desenvolvido muito bem a história.

Encontrei, infelizmente, um erro de tipografia, imagino, no fim da página 211 e início da 212; onde a frase fica difícil de ser entendida. Fica a dica para a Intrínseca corrigir para a segunda edição.

Por fim, quem não leu os dois primeiros livros, CORRA! E depois leia esse aqui. Apesar da historia ser independente, faz-se referência a acontecimentos e personagens antes apresentados.

Boa leitura a todos!




Victor é o irmão mais velho da Math envenenada, leitor apaixonado e fã das histórias de Sherlock Holmes desde a adolescência e já leu todos os livros de Arthur Conan Doyle sobre o personagem. 




2 comentários:

  1. Achei legal essa versão mais juveinil de Sherlock, claro que não é aquele livro perfeito como o original mas parece ser uma leitura gostosa. Ótima resenha!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente Júlia, mas me surpreendo a cada livro com a maneira que o autor trata e respeita o personagem. Vale à pena conferir.

      Excluir

Destile seu veneno, comente!

Ou receba as atualizações no seu email:

Delivered by FeedBurner

Posts Recentes

Últimos Comentários

As envenenadas pela maçã Ѽ by TwilightGirls RJ Ѽ - Copyright © 2012 - Todos os Direitos Reservados