9 de novembro de 2012

Sexta Envenenada: Amante Eterno


Olá envenenados! Saudades! 

Esta semana houve um alvoroço em torno de uma das séries mais queridas do mundo literário – A Irmandade da Adaga Negra, da J.R.Ward. Isso por conta do próximo livro a ser lançado aqui pela editora Universo dos Livros; Lover Reborn. 

Neste volume temos finalmente a história de um dos guerreiros, mais leais e mais grandiosos (pelo menos para mim). Estou falando de Tohrment, um dos primeiros “vampirões-tudebão” a aparecer no mundo IAN, logo no primeiro livro – Amante Sombrio. 

Enfim, com o tempo falarei sobre esse guerreiro que ganhou meu coração, quando o livro estiver em minhas mãos. Mas, só para me manifestar, até porque, acredito que a maioria ficou sabendo do bafão, a editora anunciou esta capa: 
Fonte: Facebook Universo dos Livros

A divulgação causou um furor uterino (no mau sentido), coletivo na constelação de fãs da IAN (o meu ainda está ardendo – pois não encaro bem a capa ainda). Houve protestos, manifestações em massa e algumas gurias encaminharam esse “movimento” para a Universo dos Livros e, como “o-povo-unido-jamais-será-vencido”, principalmente uma multidão, em sua maioria esmagadoramente feminina, e a editora repensou a escolha do título e resolveu manter a lógica que vinha adotando nos livros anteriores e publicar o volume com o adjetivo no masculino. 

Fonte: Facebook Universo dos Livros

Obrigada a Universo dos Livros pela consideração. Só esperamos agora que a tradução, edição e fidelidade ao original sejam respeitadas. 

Parabéns, pessoal que, pela paixão que alimenta por essa série, se fez ouvir, ou melhor, ler (eu mesma tive um ADP – ataque de pelanca) e vez valer sua opinião. Parabéns por tudo, mas principalmente pela paixão pelos livros. É gratificante ver como o número de leitores vem aumentando bastante nos últimos tempos, basta entrar em alguma livraria agora. 

Há alguns anos as livrarias só viam grandes movimentos no início do ano letivo, mas hoje este cenário mudou. Eu como leitora fico muito feliz. Os blogs literários (grandes colaboradores desse progresso) vêm agregando mais e mais seguidores e que venham mais. 
Sempre pensei em livros como mundos alternativos, universos paralelos que quando abertos e lidos ganham vida através de nossos olhos e de nossas mentes. 

O mundo dos Irmãos tomou uma dimensão que eu jamais imaginei e me fez olhar de maneira diferente para esse tipo de texto. Dificilmente alguém que lê um de seus livros não curte ou consegue ficar em apenas um. Não conheço uma pessoa que os tenha lido e não tenha ficado no desespero pelo próximo. 
Assim, para homenagear os fãs da Irmandade da Adaga Negra, hoje trago o segundo livro da série: AMANTE ETERNO. 



Absinto de hoje: Rhage (Jason Morgan)


Já apresentei aqui sua majestade Wrath, que comanda um grupo de guerreiros vampiros que lutam por sua raça que co-habita a cidade de Caldwell em Nova Iorque, a Irmandade da Adaga Negra.



Esse grupo tem lutado por séculos para proteger seu povo da perseguição de inimigos mais mortos que vivos, os redutores. E nosso herói de hoje, tem uma fome muito particular por exterminar esse mal. 

Rhage já se mostrou, em Amante Sombrio, um dos guerreiros mais ferozes, particularmente por conta de uma maldição infringida pela própria criadora de sua raça. 

Já temos uma ideia de como esse macho (é assim que se referem aos indivíduos masculinos nesta obra) é extremamente letal, em diversos sentidos. 

Se tivesse que classificá-lo com algum dos pecados capitais, só para dar uma noção do guri, poderia dizer que ele representaria bem a gula e a luxúria. É tão lindo que até os próprios Irmãos os rotulam como Hollywood, por parecer mais uma celebridade que um vampiro guerreiro. Hábil com qualquer uma das armas utilizadas pela IAN, mas seu prazer maior é o combate mano a mano. 

Mas sua vida não tem sido nada fácil, como pôde parecer no primeiro livro.
Tendo que conviver há mais de cem anos com sua maldição, Rhage precisa de dois antídotos para controlá-la: sexo ou luta. Caso não consiga nenhum dos dois, sua fera interior assume o controle total, daí é “pernas, para que te quero”? Ele simplesmente se transforma em algo ainda mais letal, inclusive para seus próprios Irmãos. 



Para complicar um pouco mais a sua situação, Rhage se apaixona por uma humana - Mary Luce, uma mulher que vem enfrentando uma vida cheia de sofrimentose que por tantas agruras perde sua fé, embora doe parte de seu tempo para praticar atos de solidariedade. 
Ao se conhecerem suas vidas viraram do avesso. Pois, ainda que não estejam em busca de romance...
quando a intensa atração animal de Rhage se converte em algo mais emocional, ele sabe que Mary precisa ser sua e de mais ninguém. E enquanto os inimigos fecham o cerco, Mary luta desesperadamente por conseguir uma vida eterna junto ao homem ao qual ama...



Me encantei pelo Rhage em Amante Sombrio, quando ele já aparece cuidando dos próprios ferimentos, provocando o rei ou caindo em cima, literalmente do tira. 
Quando Butch adentrou o cômodo principal, pôde ver o traje de Rhage para a noite: trench coat de couro negro que ia de seus ombros aos tornozelos. Camiseta, igualmente negra, enfiada nas calças de couro. Com os coturnos, ultrapassava. Vestido daquela maneira, o vampiro ficava, sem sombra de dúvida, extremamente atraente. Até para um heterossexual de carteirinha como Butch. O filho da mãe era tão bonito que ninguém conseguia ficar indiferente a ele. O cabelo loiro ostentava um corte curto na nuca com a frente mais longa. O azul de seus olhos era da cor do mar das Bahamas. E o rosto fazia Brad Pitt parecer com o patinho feio. 

Mas não era nenhum boyzinho, apesar de encantador. Algo sombrio e letal fervia por trás do exterior cativante, notava-se de imediato. Era o tipo de cara que não deixava de sorrir nem quando lutava, mesmo se estivesse levando a pior numa briga. 

Rhage é o cara que possui uma procissão de mulheres a sua disposição para o que desejar e a hora que quiser, o que é bom, pois ajuda controlar-se. Mas, o que ninguém desconfia é que intimamente o que mais deseja mesmo é sossegar, é ter alguém para ele e ser de apenas uma mulher.
Claro que já mencionou isso algumas vezes, mas ninguém o leva a sério, e assim vai seguindo sua vida, entre uma transa e uma luta, até que encontra Mary. 
O mais doce nessa história deles é que Rhage está impossibilitado de enxergar temporariamente, um brinde de sua maldição, e é seduzido pela voz de Mary: praticamente hipnotizado. 
Em meio a lutas, mortes, confusões entre os Irmãos e outras situações; ele terá de escolher entre seu amor por Mary e sua vida dedicada a sua raça, enfrentará os questionamentos e a ira de seus Irmãos, mas ainda assim Amante Eterno traz uma ternura, uma suavidade nessa relação, mas há muito pelo que passar para poderem ter o seu “final” feliz. 

Algo que engrandece ainda mais esse livro e arrematou meu coração definitivamente é a busca pela fé ou a falta dessa busca. 
Já passei por algumas situações em que minha fé foi posta à prova, e não estou falando apenas de uma fé religiosa, mas de fé no outro, no mundo. E é muito ruim perder a fé; dá uma sensação de vácuo total. É preciso acreditar que existe solução, que existem outros caminhos e, por mais ficção que seja, Amante Eterno traz essa faceta extremamente humana e real: a nossa capacidade de ter esperança, de nos sacrificarmos por algo ou por alguém, simplesmente por amor e por sentir que vale a pena sempre acreditar em virar uma página e ver um novo capítulo cheio de oportunidades, de opções. 
Quem já conhece a IAN, ainda que não seja Rhage seu Irmão favorito, certamente tem uma grande simpatia por esse absinto enorme, fanfarrão e lindo de viver. Voltei a ficaviciada em pirulitos, graças a essa fera. 
Vou ficando por aqui, mas garantindo que volto com o próximo Irmão, o xodó de muitas, mas descaradamente queridinho da mamãe Ward. Quero fazer uma ode à IAN, quem sabe a UDL mantém os próximos livros mais fiéis aos originais. 
Um beijo envenenado e Carpe Diem! 

Tania Lima


12 comentários:

  1. Oi Tânia, você não faz idéia de como me deixou feliz e satisfeita ao ler este post! Eu amo a série, já li todos os livros e tenho um grande carinho por todos os personagens da série, menos dos redutores é claro! kkkkkk
    Mas, todos que me conhecem, sabem que apesar de gostar de todos os irmãos, foi o Rhage que ganhou meu coração! E apesar de ler muito e livros bem variados, ainda não encontrei um personagem masculino que me deixasse tão apaixonada, quanto ele. Adorei seu post. Bjus
    Lia Christo
    www.docesletras.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oi Lia, sua Linda!
    Estava escrevendo e pensando em ti, pois sei do seu amor por Hollywood. Não tenho um T por ele, minha tara está em outros Irmãos, mas o Rhage é lindo em todos os sentidos e até quando atazana a paciência dos outros é adorável, adoro ele! Obrigada, querida por comentar!

    ResponderExcluir
  3. Oi, querida! Adorei o post, é claro. Fiquei com saudade, de novo, dos irmãos. A relaçao entre o Rhage e a Mary realmente é linda.
    Parabéns por mais essa ótima descriçao do absinto do dia e pelas imagens maravilhosas e elucidativas. O J.M. é perfeito como Rhage.
    Beijos, amada!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Rosane! Que bom que gostaste, pois adoro o Rhage, é um fofo, apesar da ferocidade. Jason realmente tem tudo a ver!!!
      Beijos , linda!

      Excluir
  4. eu quero tanto ler os livros dessa serie

    ResponderExcluir
  5. Fica até difícil me concentrar na postagem com estas imagens!
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É mesmo, Rose! As imagens são lindas, mas vou continuar correndo o risco de enfrentar a concorrência, pois sei que todos aqui amam ler, o bom é ver que embarcam e curtem a minha viagem! É exatamente assim que imagino Hollywood!
      Obrigada, linda!
      Bjs

      Excluir
  6. Ah gente...... Eu amei taaaaanto o Rhage.... A criatura feroz mais fofa que já achei no mundo literário. Mary me causou agonia e desespero muitas vezes. Por uma questão de identificação com sua desesperança para com a vida. Já senti isso algumas vezes, e ler doeu em determinados momentos. Mas a entrada de Rhage na vida dela, foi tudo. E ela na vida dele, foi determinante. Odeio virtualmente a Virgem Escriba.
    Adorei demais esse livro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Faço minhas as tuas palavras, todas elas!
      Bem-vinda ao Fã Clube Anti-VE!
      Que bom que gostaste de Hollywood e Mary!
      Beijo, amor!
      Tania

      Excluir
  7. Omg! Eu a-d-o-r-o essa serie! Obrigadíssima pelo post haha

    ResponderExcluir
  8. Omg! Eu a-d-o-r-o essa serie! Obrigadíssima pelo post haha

    ResponderExcluir

Destile seu veneno, comente!

Ou receba as atualizações no seu email:

Delivered by FeedBurner

Posts Recentes

Últimos Comentários

As envenenadas pela maçã Ѽ by TwilightGirls RJ Ѽ - Copyright © 2012 - Todos os Direitos Reservados