15 de setembro de 2011

Resenha: O céu está em todo lugar – Jandy Nelson - @Novo_Conceito

Bom dia #Envenenadas!,

Quando recebi o livro em minha casa (Obrigada Novo Conceito!) me apaixonei logo de cara e pensei: “Ele é lindo!”

A capa é texturizada; aos mais desavisados, ele passaria por um hard cover fácil, fácil. E quando você o folheia... Tamanha é sua surpresa, pois ele é delicadamente diagramado com suas fontes em azul* e entremeado com poesias e cartas deixadas em diversos lugares por Lennie, a clarinetista e doce protagonista da trama.

Ai,ai… Sem mais delongas. Vamos a resenha!

O céu está em todo lugar

O céu está em

todo lugar

 

Livro: O céu está em todo lugar 

Autora: Jandy Nelson 

Páginas: 424

Editora: Novo Conceito

ISBN: 9788563219374

 

 

Sinopse

 

       “Eu deveria estar de luto, não me apaixonando. Às vezes é preciso perder tudo, para encontrar a si mesmo... Lennie Walker, obcecada por livros e música, tocava clarinete e vivia de forma segura e feliz, à sombra de sua brilhante irmã mais velha, Bailey. Mas quando Bailey morre de forma abrupta, Lennie é lançada ao centro de sua própria vida, e, apesar de não ter nenhum histórico com rapazes, ela se vê, subitamente, lutando para encontrar o equilíbrio entre dois: um deles a tira da tristeza, o outro a consola. O romance é uma celebração do amor, também um retrato da perda. A luta de Lennie, para encontrar sua própria melodia em meio ao ruído que a circunda, é sempre honesta, porém hilária e, sobretudo, inesquecível. "É romântico sem ser meloso e leva às lágrimas sem ser exagerado – o que mais o leitor pode querer? " — resenha da BCCB Às 16h48 de uma sexta-feira de abril, minha irmã estava ensaiando para o papel de Julieta e, menos de um minuto depois, estava morta. Para minha surpresa, o tempo não parou com o coração dela. As pessoas continuaram indo à escola, ao trabalho, a restaurantes; continuaram quebrando bolachas salgadas em suas sopas, preocupando-se com as provas, cantando nos carros com as janelas abertas. Por vários dias, a chuva martelou o telhado da nossa casa — uma prova do terrível erro cometido por Deus. Toda as manhãs, quando me levantava, ouvia as incessantes batidas, olhava pela janela para a tristeza lá fora e me sentia aliviada, pois pelo menos o sol tivera a decência de ficar bem longe de nós.”

FitaLateral

 

Resenha

         

Ao contrário do que você possa imaginar, Lennie inicia contando sua estória (Sim! O texto é narrado em primeira pessoa, quase em tempo real!) a partir de um fato muito triste de sua vida: a morte de sua irmã mais velha Bailey. Lennie é criada por sua avó e seu tio. Sua mãe seguiu seu caminho desbravando o mundo de forma fantástica, como a avó gostava de contar. Dessa modo, sua ausência nunca foi sentida e desde sempre, Lennie passou a vida amando e admirando, mais do que tudo, a irmã.

Sem dividir a dor da perda com sua pequena e incomum família, ela vai voltando a sua rotina um mês depois da morte de Bailey. Aos poucos, ela retoma os estudos, suas aulas de música, seus amigos e seus livros... Mas estava muito longe de reencontrar sua antiga felicidade.

A falta que a irmã mais velha faz em sua vida a deixa beirando a loucura, Lennie se tranca em seu mundo, proibindo até sua querida avó de penetrá-lo, não deixando ninguém levar embora as roupas e os pertences da irmã, pois acha que se distanciando desse santuário estará cada vez mais longe dela.

Aos poucos Lennie vai descobrindo que se tornou uma sombra de Bailey durante anos e ao perceber isso, se sente muito culpada e egoísta por discordar de seus próprios pensamentos sobre a irmã, quando ela já não podia mais se defender, pois não estava mais ao seu lado. Lennie amava Bailey, o poder que ela exercia sobre as pessoas, como era magnética, sedutora, apaixonante e corajosa. E depois de sua partida e diante de tantas coisas que havia vivido em tão pouco tempo, ela se questionava se de fato merecia algum tipo felicidade, se não poderia mais dividi-la com a irmã.

A dor da perda a corrói de tal maneira, que ela é incapaz de enxergar qualquer sofrimento a sua volta até se deparar com Toby, o namorado da irmã morta. Diante de tanta confusão em seus sentimentos, Lennie se sente envolvida emocionalmente com Toby e juntos eles passam a dividir a saudades que a morte de Bailey deixou aos dois, e também a culpa por essa estranha proximidade.

Até aparecer Joe Fontaine. Ah... Joe... O lindo garoto meio-inglês-meio-francês que chegou à escola abalando as estruturas da pequena cidade onde Lennie mora. Todas as meninas perceberam Joe, mas ele só tem olhos para Lennie, ou melhor, John Lennon... rsrsrsrs...

Coisas lindas acontecem entre o violonista e a clarinetista. A pureza da descoberta do amor, suas promessas, o fervor na pele ao primeiro contato físico e aquela imensa vontade de estar junto o tempo todo faz o corpo de Lennie flutuar, e quando ela está com Joe, parece absolvida do pecado “de ser feliz”.

Mas toda vez que reencontra Toby, as feridas são reabertas e os sentimentos confusos a dominam deixando ela entre ele e Joe.

Pobre Lennie!

Longe de sua mãe, sem a presença amiga de sua irmã, ela tem que se virar em um mundo novo, cheio de descobertas, as quais não tem mais com quem dividir.

Amor, dor, medo, culpa... Sentimentos que se misturam à lindas metáforas dão um tom todo especial a essa estória. Com uma mão preciosa de poesia, muitas inferências a literatura clássica, música, expressões em francês** e um toque açucarado na escrita, Jandy Nelson faz você prender a respiração por horas com sua maneira tão particular ao falar de amor.

Nunca pensei que pudesse encontrar tanta doçura em um só livro!

Ao fim de sua estória me sinto convencida de que “O céu está e todo lugar”.

E se você ainda não se convenceu… Dá só uma olhadinha no booktrailler!

*Azul é cor favorita de Lennie : )

** Senti falta da tradução de algumas expressões em francês : (

Recomendo muito!!!

Beijos,

Fê Madeira 

7 comentários:

  1. Que meigo! Adorei!!!

    Acabei de ler a resenha e já pedi o livro pra minha mãe! ; )

    Vou comprar o livro, ler e depois comento de novo!

    Beijos!!!

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pela resenha Fê! Estou ansiosa para ler O Céu Está em Todo Lugar. Amei o booktrailer! Beijos!

    ResponderExcluir
  3. amei sua resenha !!!
    o livro parece ser realente muito bom não vejo a hora de ler
    já li outras resenhas e me indentifiquei muito com a Lennie por ela ser viciada no livro " O morro dos ventos uivantes" que também é um dos meus livros preferidos

    ResponderExcluir
  4. Já tive a oportunidade de folhear esse livro na Saraiva quase comprei a unica coisa que me segurou foi o kit que a Novo Conceito está dando ... quem sabe eu não tenho sorte e levo um em alguma promo.

    ResponderExcluir
  5. Adorei a resenha e estou doente para ler esse livro! A capa é linda! Quero muito ler ele, por motivos pessoais e porque tudo que tenho lido sobre esse livro é positivo!

    ResponderExcluir
  6. Nossa, depois dessa resenha Fê, quero muuuuito ser convencida de que “O céu está em todo lugar”! O enredo me pareceu uma linda estória de superação e o kit desse livro é uma fofura!
    Quero muito ler =)

    @BobbyDupeaGirl

    ResponderExcluir

Destile seu veneno, comente!

Ou receba as atualizações no seu email:

Delivered by FeedBurner

Posts Recentes

Últimos Comentários

As envenenadas pela maçã Ѽ by TwilightGirls RJ Ѽ - Copyright © 2012 - Todos os Direitos Reservados